terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

O calor, o violão e...

A noite está quente. Muito quente. Os termômetros marcam 34 graus.
Ela está no computador, absorta, navegando entre um site e outro.
Ele ao lado, abraçado ao seu violão, ensaia algumas músicas.
Com o calor que tem feito é só o violão que está dando para dar uns abraços mesmo.
O suor escorre pelos ombros dela. Ele arrisca um beijo e diz que ela está salgada.
Dormir mais cedo é bobagem, pura perda de tempo. É ficar rolando de um lado para o outro.
E não tem ventilador. Não adianta janelas abertas. Nada alivia a sensação de estar dentro de um forno.
Ele parou de tocar. Deve ter cansado. Esse calor nos deixa cansados mais facilmente.
Ela ainda continua navegando... Nesse calor melhor seria navegar em águas claras e fresquinhas.
Ele pega novamente no violão. Não tinha parado, tinha somente dado uma pausa para relaxar. Talvez se refrescar um pouco.
E nesse intervalo um bilhete ele trouxe para ela. Nele está escrito:
Divido meu mundo com você...
Para multiplicar os momentos felizes de minha existência.
Te amo!
E então... Ela parou de navegar.
Postar um comentário