sábado, 24 de setembro de 2016

E a internet cai.

Tem horas que eu fico com o saco cheio. Agora por exemplo. Estou em casa. De boa. Algumas coisas para fazer, mas não quero. Resolvi aproveitar - já que o Zé está tocando violão - para mexer no meu blog. Estou tentando há mais de uma hora. O net ligado e o wi-fi só que cai. Um tombo após o outro. De cinco em cinco minutos. Não é para ficar de saco cheio?
No fim vou ter que desligar o net porque daqui a pouco vamos pra casa da sogra. Ficaremos lá a tarde toda.
Estou no celular. Internet da Claro. Que daqui a pouco vai dizer que já usei 50%. E mais um pouco 100%.
E eu não terei conseguido fazer metade do que gostaria.
Quando é pra gente ganhar tempo. É onde a gente mais perde. Na internet. Ou... Tentando usar a infeliz.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Ganhando passagem de avião

Existem pessoas que fazem coisas pra gente. Tanto coisas boas como ruins. As ruins eu prefiro esquecer. Mas as boas... Essas são inesquecíveis. E se formos tentar entender o porquê eles fazem isso, na maioria das vezes não encontramos explicação, não é mesmo?
Tem muita gente que fez (e faz) muita coisa boa pra mim. Por mim!
Hoje, em especial quero citar o Affonso. Conhecemos o Affonso na academia. Ele treina no nosso horário. A turma das 17h30min. Uma das mais agitadas da academia. Damos um pouco de trabalho para o personal. Mas isso é outra história. rsrs
O Affonso se tornou um grande amigo. Literalmente. Ele tem quase dois metros de altura. rsrs Ele é empresário do ramo de transportes. Gente fina! E muito simples!! Ele está sempre  preocupado com todos. Patrocina o time de futebol do Léo, o estagiário da academia. Dá-se bem com todos. Mas percebi que ele simpatizou com o Zé. Tanto que vive tentando ajudar de uma forma ou outra. Foi ele que convenceu a esposa a empregar o Zé na empresa dela. No fim não deu certo. O Zé também simpatizou com ele. Tanto que se sente a vontade de contar o que anda fazendo. Ou tentando fazer. E sempre conta com o apoio do Affonso.
Mas, na segunda-feira, o Affonso nos surpreendeu. No final do treino, ele falou para o Zé que tinha duas passagens de avião. Perguntou se a gente (eu e Zé) queria. Não pensamos duas vezes. Aceitamos.
No mesmo dia, chegando em casa, passamos nossos dados para ele, onde gostaríamos de ir e as datas.
Dois dias depois ele enviou os dados das passagens.
Eu fiquei sem palavras na hora. Apesar de saber que ele não estava brincando, fiquei meio sem acreditar. Só acreditei quando o Zé mostrou o e-mail do Affonso com os dados das passagens.
Fiquei muito feliz. Vou conhecer um lugar que ainda não conheço. E graças a uma pessoa que conheço há pouco tempo.

Segunda-feira nós veremos ele novamente. Vou agradecer pessoalmente. Não sei se teria alguma outra maneira de eu agradecer esse maravilhoso presente.

sábado, 17 de setembro de 2016

Por que tudo está tão caro?

Quero deixar registrado - mais uma vez - o quanto acho um absurdo o valor dos produtos de higiene pessoal. O quanto eles encareceram ao longo dos anos. 
E não é para reclamar? Esses cinco produtos da foto acima, custaram nada mais, nada menos que R$ 169,14. Nunca imaginei que um dia ia comprar shampo e condicionador e pagar parcelado.
E não pensem que eu sou uma dessas que reclama e não faz nada. Eu perguntei à minha cabeleireira se não tinha produtos mais baratos do que os dois da frente, que é o que ela recomenda para o meu cabelo. Ela recomendou os três que estão atrás, mas não aliviou muito.
Sei que poderia ser pior. Eu poderia estar indo na cabeleireira fazer essa hidratação. Aí sim, ficaria muito mais caro.
Eu acho um abuso dos fabricantes. Eu fico muito revoltada, porém, sei que isso é um mal necessário. Se não uso, fico com os cabelos arrepiados de seco. Se uso fico com os cabelos em em pé de susto. bem assim...

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

BEATLES 4EVER!

Ontem fomos assistir Beatles 4Ever no Teatro Iguatemi. Uma cortesia do Correio Cult e do Sergio. Não sou muito fã dos Beatles. O Zé também não. Mas gostamos de algumas músicas deles. Acho que não tem quem não gosta. 
Quando o Zé foi pegar os ingressos viu que nossos assentos eram A26 e A27. Ele pensou em trocar. Achou que seria muito em cima do palco. Ele não queria por dois motivos. Um: geralmente a primeira fileira não dá para ver o palco todo. Dois: caso o show não estivesse bom, ficaria chato sair. A moça da bilheteria disse que poderia trocar por ingressos na fileira "M". Aí achamos que seria muito longe. E não trocamos. Quando entramos vimos que os assentos não eram tão ruins. Nossos assentos ficavam mais ao lado. Porém, ficava bem em frente a caixa de som. E sem hesitar fomos sentar na penúltima fileira. Vai ser difícil lotar o teatro, ou seja, os assentos não teriam donos, pensamos. E ali ficamos. Ainda bem!

O show foi muito bom. Eles tocaram em três blocos. Que foram as fases da banda. Eles tocam muito! Principalmente o que interpreta o George.
Eles cantaram mais de 20 músicas. Acho! Não contei.rsrs
Algumas músicas foram contagiantes, a ponto de levar o público a cantar, bater palmas e aplaudir muito no final.
Os integrantes são bem comunicativos. Conversavam entre as músicas. Eu não entendia nada. Eles falaram o tempo todo em inglês. Só no final que o Ringo apresentou todos os integrantes, falando em português.
Tirando a microfonia que persistiu durante mais da metade do show (por isso falei "ainda bem" termos saído da primeira fileira), e do Paul que não cantou muito bem (na saída ouvi outras pessoas falando sobre ele ter cantado mal) o show foi muito bom. Eu cantei, aplaudi, assoviei e chacoalhei as mãos. Minha dor de cabeça até passou.
O show durou mais de 90 minutos e no final eles ficaram disponíveis no saguão para tirar fotos com quem quisesse. 

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Eu e minha tosse

Eu tenho uma tosse que me acompanha há vários anos. Eu acho que desde os meus 20 anos. E também acho que foi por causa de uma “broncopneumonia” que eu tive um pouco antes dos 20 anos e que não devo ter curado direito. Não sei se esses meus “achismos” tem coerência. Mas enfim... É o que eu acho.
É raro o dia em que eu não dou umas tossidas durante o dia, porém, ela é mais frequente a noite. Já fui ao meu médico e falei sobre isso. Ele já perguntou se tinha cortina no quarto. Se meu marido fuma. Eu ele sabe que não fumo. Ele coloca aquele aparelho para escutar minha respiração e nunca deu nada. Ele disse que pode ser alergia de alguma coisa.
O que causa essa tosse, eu não sei. Sei como ela começa... Geralmente eu sinto uma coceira entre a garganta e o pulmão, e aí a tosse vem.
Ontem fiquei incomodada porque o Zé reclamou. E percebi que reclamou sério. Disse que às vezes tusso muito alto. Que incomoda o sono dele. E como eu sei que ele tem o sono leve, fiquei super mal.
Tanto que a noite, quando sentia que ia tossir, enfiava a cabeça no travesseiro. Cheguei a espirrar o spray de própolis (com mel e gengibre) que deixo ao lado da cama. Em outro momento, levantei e fui à cozinha beber água. Também fui ao banheiro e aproveitei para tossir enquanto dava descarga. Para o barulho da tosse não aparecer.
Faz tempo que o Zé pega no meu pé por causa disso. Mas, dessa vez senti que estou prejudicando ele. Ele já chegou a marcar consulta com o pneumologista. Eu não fui.
Só que depois de ontem, acho melhor começar a procurar um especialista para descobrir o que ocasiona essa tosse e tentar curar. Senão meu casamento vai acabar. 

domingo, 11 de setembro de 2016

Aniversário Bruno

E encerrando as comemorações dos aniversários, ontem foi a vez do Bruno. Combinamos de cada um levar um pouquinho de carne - ou linguiça ou asa de frango – ou o que quisesse para comer, e o que fosse beber. O Fernando encomendou um kit com bolo, docinhos e cupcakes. Ele mandou fazer um painel com o desenho dos Vingadores, que foi o tema da festa. A decoração e tudo o mais ficou por conta dele, com a ajuda da mãe e das irmãs (dele) e da Silvana – minha irmã.

Para não falar que eu não fiz nada. Na sexta feira comprei as forminhas dos docinhos, bexigas, pratinhos, garfinhos, a vela. E na hora fiz o vinagrete. Não basta ser mãe, tem que participar. 
Teve também um bolo de abacaxi que o Zé comprou. A Rose fez uma farofa de soja e uma pasta de alho. A mãe do Fernando fez a maionese e farofa. O Bruno fez arroz.
Eu tinha saído com a Silvana para comprar tomate e salada. O Fernando com o Zé para buscar o kit. Na casa ficou a família do Fernando. No fim, quem fez a surpresa foi o Bruno, que chegou antes do esperado. Na verdade ele estava no horário, nós é que nos enrolamos. Não deu tempo de preparar tudo até ele chegar. Fico imaginando a cara do Bruno chegando e vendo a decoração. A gente devia ter pedido para a Rose enrolar ele, mas nem pensamos nisso. 







A festa rolou até a noite. Fez calor demais a tarde. E esfriou bastante a noite. Eu fui a última a ir embora. Tomei até café. Estava tudo muito bom!

domingo, 4 de setembro de 2016

Aniversário da Duda

No ano passado o aniversário da Adriana (28/08), da Dudinha (04/09) e do Bruno (08/09) foram comemorados juntos. Este ano eles resolveram comemorar, cada um na sua data. Ou seja, festa todo final de semana. Gordices e mais gordices. Se tinha alguém de regime. Dançou.rsrs
Semana passada nós festejamos com a Adriana. Hoje foi o dia da Dudinha, que está completando 07 aninhos.
A festa foi na casa da minha mãe. É que o Sérgio e a Karen – pais da Dudinha moram em apartamento. E como eles queriam fazer churrasco, preferiram fazer na minha mãe.
A Karen fez o bolo, os brigadeiros e a decoração. Essa minha cunhada é o máximo! O Sérgio ficou cuidando da churrasqueira. 
A Dudinha estava super feliz. Ela e os primos. Brincaram bastante. Ela parecia uma princesa, na hora de cantar parabéns. Toda de rosa!

Bolo da Karen



Duda, Giovana, Felipe e Leandro

Duda com alguns presentes
Foi mais um dia de muita festa. E muita comilança, que se estendeu até o anoitecer.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Aniversário da Adriana

E o Domingo foi de festa. Comemoração do aniversário da Adriana. Minha irmã caçula.
A Eliane foi a primeira a chegar. Eu em seguida... O pessoal foi chegando aos poucos.
Shirlei e família. Sérgio e família. Marcos e Nilda. O Gustavo chegou depois. Jacqueline e família. Silvana, Letícia, Débora, Danilo. Sandro e família. Minha mãe. O Bruno foi o último a chegar. Ele estava trabalhando na Bienal, em São Paulo. Ah, o Fernando foi comigo e o Zé. Será que esqueci alguém? Se esqueci, a Karen vai me lembrar.rsrs
Quanta comilança. Tinha churrasco – carne, linguiça, frango. Arroz, feijão que a Adriana fez para as crianças e no fim, todo mundo comeu. Vinagrete, maionese, pão. Refrigerante, cerveja e para mim, o Zé fez a caipirinha. A Kelly fez tabule. Teve até sobremesa! Pudim, pudim, sobremesa de abacaxi, e cupcakes. E como todo aniversário, não podia faltar o bolo. Tinha dois! Branco para os adultos e chocolate para as crianças. Tinha até uns docinhos que a Silvana espalhou pela mesa.

Quando a festa é na casa da Adriana, ela já até sabe. O pessoal começa a chegar para o café da manhã. E só vai embora após a janta. Também naquela casa tem diversão para todos. Desde o pequeno, até o mais velho. Então não dá vontade de ir embora.

Enfim, passamos um dia maravilhoso. Aliás, quando a gente se junta sempre vira festa. Então imagine quando é festa mesmo!