domingo, 27 de dezembro de 2009

O Caderno

Geralmente quando o ano está indo embora refletimos sobre os projetos que conseguimos realizar e o que deixamos para o próximo ano, tem também aqueles que desistimos no meio do caminho. Nesta análise infelizmente percebemos que erramos muito, uma ação natural do ser humano, mas difícil é admitir o quanto erramos!
Quero encerrar o ano com o texto abaixo (parte) da música "O CADERNO" na voz do Padre Fábio de Melo.

"Eu não sei se você se recorda do seu primeiro caderno. Eu me recordo do meu. Com ele eu aprendi muita coisa. Foi nele que eu descobri que a experiência dos erros, ela é tão importante quanto a experiência dos acertos. Porque vistos de um jeito certo, os erros, eles nos preparam para nossas vitórias e conquistas futuras, porque não há aprendizado na vida que não passe pela experiência dos erros. Caderno é uma metáfora da vida. Quando os erros cometidos eram demais, eu me recordo que a nossa professora nos sugeria que virasse a página, era um jeito interessante de descobrir a graça que há nos recomeços, ao virar a página os erros cometidos deixavam de nos incomodar e a partir deles a gente seguia um pouco mais crescidos.
O caderno nos ensina que erros não precisam ser fontes de castigos. Erros podem ser fontes de virtudes. Na vida é a mesma coisa, o erro tem que estar a serviço do aprendizado, ele não tem que ser fonte de culpas, de vergonhas, nenhum ser humano pode ser verdadeiramente grande, sem que seja capaz de reconhecer os erros que cometeu na vida. Uma coisa é a gente se arrepender do que fez, outra coisa é a gente se sentir culpado. Culpas nos paralisam, arrependimentos não, eles nos lançam pra frente e nos ajudam a corrigir os erros cometidos.
DEUS é semelhante ao caderno, ELE nos permite os erros pra que a gente aprenda a fazer do jeito certo. Você tem errado muito? Não importa, aceite de DEUS esta nova Página de Vida que tem nome de "Hoje", recorde-se das lições do seu primeiro caderno. Quando os erros são demais, vire a página."

Agora fica mais fácil admitirmos nossos erros, não é verdade?

FELIZ ANO NOVO E VIRE A PÁGINA!!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Presente de Grego

Aproveitando o gancho de uma postagem do blog “Cronico, Logo Existo” recomendo fazerem uma visita! Estava lendo a postagem “Lista de presentes de grego para este Natal”, dêem uma espiada.
Pensando em algumas sugestões para a lista do Alexandre, queria poder ajudá-lo, afinal sei que é difícil nesta época comprar presentes.rss
Por um momento me veio à mente quais os presentes de grego que eu já havia ganhado. Eu disse quais? Se me veio este pensamento é porque devem ter sido bastantes, mas enfim vou citar um que me lembro, ou melhor não me esqueço.
Esse ganhei do meu ex-marido, assim como alguns outros, não estou querendo meter o pau no coitado não, é que ele adorava me presentear (disso eu nunca reclamei) bastava eu comentar que gostava de alguma coisa e daqui a pouco aparecia ele com esta coisa nas mãos.
Um dia devo ter comentado que gostava de passarinhos, ou melhor não devo ter dito que gostava e sim que “adorava”, “amava”, porque ele me apareceu logo com quatro canários, cada um na sua gaiola e todos os seus apetrechos, não lembro se era alguma data especial, sei que não era meu Aniversário, nem dia das Mães, nem dia dos Namorados, muito menos Natal!
Acreditem, gosto de animal de estimação, adoro o cantarolar dos passarinhos logo cedo (um dia ou outro), mas eu ainda estava na fase de cuidar dos filhos, estava com os três pequenos, mas enfim, presente é presente ou então como diz o provérbio “A cavalo dado não se olha os dentes”. Ganhei, aceitei (tinha outra opção?) se fiz cara de feliz não lembro, sei que não sei muito disfarçar quando fico decepcionada, mas não devo ter feito cara feia não porque depois deles vieram outros “presentes”. Ou então... pensando aqui com os meus botões, teria duas possibilidades: uma meu ex devia gostar de me apurrinhar, ou então ele achava que eu não tinha nada pra fazer, vou começar a pensar nestas possibilidades.rss Sei que conforme o tempo passava eu pegava mais amor nos canários e menos no meu ex (brincadeirinha) adorava ouvi-los cantar logo as 6 da manhã, fogo era limpar as gaiolas (não se esqueçam que eram 4) lavar a vasilha do banho, trocar a ração, trocar o jornal que eu colocava como forro, isso para não grudar aquela sujeira (vcs sabem do que estou falando, né?) no fundo da gaiola e depois ter que raspar com espátula, as vezes a preguiça de colocar jornal era maior e ficava sem, então entrava a espátula em ação. Não é por nada não, dava o maior trabalho isso! Enfim cuidei desses presentes, com o maior amor e carinho, o maior é exagero.rss
Fiquei com estes canários, até que um dia 2 morreram, meu vizinho que era criador de canários disse que foi da idade, e como eu fiquei triste (isso é verdade!) resolvi vender os outros 2 para ele, isso antes que dissessem que eu matei todos!
Ps. O que sei é que também dou alguns presentes de grego!! E quem nunca deu?

sábado, 12 de dezembro de 2009

A Donzela e a Luz Roubada



Esta é uma das histórias do livro "Mulheres de Aço e de Flores" do Pe.Fábio de Melo. Quando criei o blog logo me lembrei e pensei vou postar aquela história, uma das que mais me comoveu. É a história de uma mulher que se apaixona ainda jovem, por um eletricista que vai fazer um reparo na fiação da cozinha da sua casa, ela nunca viveu na prática este amor, viveu um amor platônico. O eletricista por sua vez casou, teve filhos e talvez nunca percebeu que tinha alguém que o amasse, a ponto de abdicar de outros amores por ele.
Quando li esta história me coloquei a pensar como pode uma pessoa ficar tanto tempo vivendo desta maneira, ou melhor sobrevivendo, porque isto é sobreviver “continuar a existir depois de outras pessoas ou coisas”, lamento! Se eu conhecesse esta mulher e é claro se ela pedisse minha opinião (ou talvez mesmo que não pedisse) diria à ela que não deveria desperdiçar seus dias com um amor impossível, ou talvez a aconselharia a se declarar à ele, afinal o que ela teria à perder? Não considero o fato de você se declarar como ser atirada, ou oferecida, você somente está tomando partido da sua vida, considero um ato de coragem tal atitude, afinal você está sujeita a levar um fora, e daí? Um fora dói sei disso, mas por algum tempo; e sofrer uma vida inteira, não é pior? Mesmo que ele não ficasse com ela, com certeza a partir deste suposto "não" ela seguiria sua vida e deixaria o coração aberto, propenso a novos amores. Mas enfim, acredito que a personagem espera na frase que diz “O que é para ser, será” ou “Destino”(em outra oportunidade falarei sobre este assunto) tive esta impressão com base no último parágrafo do livro. Será que hoje, com toda essa revolução feminina, ainda existem mulheres sobrevivendo por aí? Que acreditam em o que é para ser será e destino?
Abaixo trechos do livro para que se deliciem e tirem suas próprias conclusões:

O Zé Raimundo foi o único homem que me despertou os instintos mais vergonhosos. E mesmo hoje, distante do tempo em que o vi pela primeira vez, mesmo preservada numa castidade que já dura mais de meio século, ainda o desejo com os mesmos calores da juventude.
Foi desde a primeira vez que o vi. Quando ele entrou pela porta da minha casa eu descobri que a vida valia a pena.Ele não veio porque quis. Papai o contratou para fazer uns reparos na fiação da cozinha. Era uma manhã iluminada de Setembro, o dia era 13, o ano eu quis esquecer.
Usava calças marrons e camisa que não pus atenção. Só não esqueço do pequeno corte na altura do queixo, coisas de quem se distrai nos reparos finais do barbear. Sua voz era grave e as palavras poucas. Depois de hora e meia de serviço ele se foi e levou com ele a minha luz.
Nunca mais o tive por perto. Sempre o enxergava à distância. Vez ou outra eu o via passar com Diolinda, a namorada a quem amava fielmente. Vê-los de mãos dadas na praça do coreto era o mesmo que ser esfaqueada em público. Graças a Deus nunca presenciei um carinho mais ousado entre os dois, e isso eu sei que não suportaria sem sofrer um ataque de nervos. Guardei meu coração minha vida inteira...
... No dia do casamento do Zé Raimundo ardi em febre. Trancada no meu quarto, ouvia meu pai perguntar à minha mãe: _A Maria das Dores não vai à cerimônia com a gente?. Minha mãe prontamente respondeu: _ Ela não tem razão pra ir, nem conhece o rapaz!
Pronto, ali estava a razão exata da minha dor. O homem da minha vida não sabia quem eu era. Não faria diferença a minha presença...
.. Já se passaram 43 anos. O casamento do Zé Raimundo lhe rendeu seis filhos e já são oito netos... Outro dia encontrei o Zé Raimundo na padaria do Olegário. Há muito não o via. Eu estava entrando, e ele saindo. Educadamente me desejou bom-dia. Minha boca secou e eu não pude responder. Depois daquela manhã de Setembro foi a única vez que ouvi novamente o tom grave de sua voz. Nos poucos encontros que tivemos ao longo da vida, nunca o som. Sempre o silêncio que é próprio de quem não se conhece. Quase precisei de uma cadeira para sentar. Olegário percebeu a minha palidez e perguntou se estava me sentindo bem. A vontade era de gritar que eu estava com sintomas de paixão recolhida, mas faltou coragem, faltou boca pra dizer.
... Tenho uma caixa de pó de arroz que tem a idade das minhas esperanças. Comprei-a para usar no dia em que o Zé Raimundo me convidasse para um passeio na praça do coreto com ele.
Ainda não pude abri-la, mas continua guardada. Nunca se sabe! As esperanças duram o mesmo tanto que o amor.
... Quase nada mudou nesta casa. É bom que seja assim. A boquilha da cozinha ganhou o apelido de sacramento. Passo horas e horas olhando pra ela. Nunca deu um enguiço essa danada! O serviço foi muito bem realizado. Mas como nem tudo na vida é eterno, espero ansiosa pelo dia em que ela apresente um defeito, a necessidade de um reparo. Só então terei a coragem de chamar um eletricista para revisar essa fiação antiga. Quem sabe assim ele retorne com suas calças marrons e me devolva a luz roubada.

domingo, 6 de dezembro de 2009

Pontapé Inicial - O Blog nasceu


Nada melhor para a primeira postagem que me apresentar, então um pouquinho de mim (bem pouco) para quem não me conhece, é claro!!
Uma leitora voraz, era assim que Márcio (um amigo) me definia. Hoje por falta de tempo tenho lido pouco, mas ler é a minha paixão número UM seguido da música. Acho a leitura uma ferramenta muito importante, através dela passamos a escrever e nos expressar melhor, aconselho a ler de tudo, livros, jornais, revistas, e os meus preferidos histórias em quadrinhos os famosos "Gibis".

Minha paixão número DOIS
é ouvir música, curto: Pop, Rock, MPB , Sertanejo, não sou muito fã de pagode, forró e destes outros montes de estilos que tem surgido por aí, ouço uma ou outra, caso necessário.Quanto à televisão, sou meio devagar, de vez em quando alugo ou empresto filme para assistir, isso se me convencerem de que é bom (fazem isto me contando, exigência minha.rss) não tenho muita paciência de ficar sentada em frente à TV, curto mais ver um filme no cinema.
Me considero uma pessoa abençoada por DEUS, vivi todas as fases da minha vida intensamente, aproveitei cada minuto da minha adolescência, fui casada (esposa, mãe e dona de casa dedicada, penso assim considerando os 18 anos dedicados à eles, somente à eles.rss), sou mãe de 3 filhos maravilhosos, hoje sou divorciada e muito feliz, tenho minha profissão, estudo pois a teoria é necessária e o diploma mais ainda, por enquanto estou baladeira, sempre gostei de dançar e arrumei ótimas companheiras. Enfim para ser uma pessoa completamente realizada só faltam umas viagens, que pretendo fazer e assim, com certeza adquirir um pouco mais de conhecimento para a minha bagagem de vida!!
Com base em tudo que relatei, acredito que posso transmitir um pouco desta experiência ou conhecimento.
O que estarei postando
: trechos de livros ou comentários sobre algum que li ou que estou lendo,
devorei livros e livros da Agatha Christie e Sidney Sheldon (com certeza postarei trechos de alguns), atualmente estou no gênero "auto ajuda"e destes vou tirar alguns trechos muito bons, falarei sobre músicas, (desde que elas tenham o que falar.rss) enfim o que achar interessante.
Atualmente como frequentadora das baladas
e claro, aproveitando da melhor maneira possível tenho observado as atitudes da mulherada, e com certeza estarei postando algumas recomendações, sem ofensas, somente críticas construtivas.rss
E é claro, de vez em quando falarei algo sobre mim, afinal este é meu BLOG!!