terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Aniversário Eliane

Hoje é aniversário da Eliane. Minha sobrinha e afilhada. Ela está fazendo mais de 30 anos. Nem parece, pois, pra mim, ela continua sendo uma menina.
Lembro pouco do seu nascimento, apesar de que estava por perto. Como a Shirlei teve a Ellen e a Eliane bem próximo uma da outra, eu ficava na casa dela. Devia ficar ajudando. Pelo menos minha mãe me mandava pra lá com essa intenção.rss
Depois da separação a Shirlei veio morar em casa com as duas. Isso depois de ter ido morar um tempo no Ceará. A Eliane é a nossa segunda sobrinha, então era bastante paparicada. Lembro dela, gordinha, loirinha - usava uma franjinha, aqueles olhos arregalados meio esverdeados. Tinha uma carinha de sapeca. Ela sempre foi muito geniosa. Quando apanhava, encarava quem batia e falava: _Não doeu!
Meu pai falava que ela tinha sangue ruim.rss Aliás meu pai era o que mais paparicava ela. Teve um dia que eu encontrei os dois dentro do ônibus. Ele estava todo orgulhoso. Contou-me que ela havia caído e precisou levar uns pontos na testa. E falou: _ Ela não deu um pio. E nem teve anestesia - essa menina é porreta! Ela estava com um curativo na testa.
Outro que a mimava era o Álvaro. Quase todo Sábado ele as levava na feira que tinha na Vila Perseu, bairro vizinho ao nosso. Comprava pastel e docinhos. Quando não ia com elas, ele trazia pastel, pra elas e pra gente. Hummm
Fiquei sabendo que elas apanhavam bastante também. Um pouco, ou talvez mais do meu pai, afinal era ele quem cuidava delas. Apanhava dos meus irmãos mais novos também. Isso quem me contou foi o Sandro. Ele disse que o “bicho pegava” na hora de ajudar elas com a lição de casa. Deviam dar trabalho.rss
Quando eu a batizei – juntamente com o Álvaro, a Eliane ela já estava grandinha. Não sei exatamente a idade. O batizado foi em uma tarde de Domingo, na Catedral Metropolitana de Campinas.
O tempo passou. Eu casei e vieram os filhos. Lembro das tardes em que a Eliane ia nos visitar. Geralmente a gente pegava o ônibus e ia para a cidade... Dar de comer para os pombos.rss E então era ela que ajudava eu com os filhos. Hoje ela está casada com o Gabriel e já tem um filhinho, o Felipe.
Pena que eu não posso compartilhar muito dos momentos dela. Vejo que ela é uma esposa - e mãe,  dedicada, cuidadosa e amorosa.
O que mais posso falar da Eliane além de que ela é muito inteligente, esforçada, batalhadora, guerreira. Como profissional deve ser muito competente. Lembro quando ela entrou na Embratel, se não estou enganada como Patrulheira. Lá ela foi recebendo promoção. Ela ia trabalhar toda elegante. Calça social, salto alto. Eu ficava toda orgulhosa. Ela chegou a começar cursar “Direito”, mas parou quando decidiu ir trabalhar no Japão.
Outra característica da Eliane é sua sinceridade. Ela não é de mandar recado não. Bateu... Levou.rss
Também é bastante companheira, amiga pra todas as horas. É bastante faladeira. Gosta de falar e de ouvir também. Está sempre de bom humor, sempre com um sorriso estampado no rosto. Sua presença ilumina os ambientes. Digo isso porque ela faz falta quando não comparece em algum evento.rss  E como se não bastasse... É muito linda. Ela lembra a Carolina Dieckman.
Bom, essa é a minha sobrinha e afilhada Eliane. Uma menina – mulher mais que especial e que hoje está comemorando mais um ano de vida. 
Anos com certeza bem vividos!!
Postar um comentário