sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Prioridades

Esse é um desabafo que nem devia ficar registrado, mas a vida não é feita só de coisas boas. Hoje em dia, as pessoas querem que só isso fique registrado. Postam nas redes sociais fotos sempre sorrindo. Ou de viagens. Ou jantando em lugares chiques. Parece que a vida dela é de felicidade plena de pura harmonia. A vida tem seus altos e baixos. Momentos de alegrias e tristezas. De surpresas e decepções. A minha não é diferente.
Ontem eu estava animada, pois ia conhecer o meu neto. Combinei com o Zé como iríamos. Mas, acabei ficando chateada com ele. Porque, mais uma vez ele desmarcou um compromisso. Ele ligou algumas horas antes dizendo que não ia. Motivo: O patrão tinha marcado uma reunião e não tinha avisado ele.
Primeiro: Acho que, se alguém marca uma reunião e não te avisa, é porque você não é peça fundamental;
Segundo: O Zé não é registrado nessa empresa (ele presta serviços);
Terceiro: O Zé está desmotivado nessa empresa, porque vai fazer 04 meses que ele está lá, e até o momento não pagaram a comissão que ele tem direito;
Quarto: O Zé está desmotivado porque se sente um peixe fora d’água no ambiente, além de que, segundo ele, o pessoal não é organizado, o que o deixa desanimado;
Quinto: Ele já disse que não vai ficar lá;
Sexto: Se sou eu que digo que não vou a um compromisso, com certeza ele não ia gostar.
Olha, posso estar sendo chata - implicante. Mas é que não é a primeira vez que isso acontece. Eu devo me conscientizar que não sou prioridade na vida do Zé. Mesmo que ele diga que sou. Já percebi que antes de mim, vêm os carros, a moto, a reunião com as irmãs, o trabalho, etc.
Ontem ao chegar em casa, fiquei pensando que não valia a pena ficar de “cara fechada”. Mas não consegui. Eu até tentei, mas, se tem uma coisa que não consigo, é fazer cara de nada aconteceu, quando algo está me remoendo. E como não adianta falar para o Zé porque ele se irrita e reverte a culpa, fiquei quieta.
Mas, como tudo passa isso também vai passar. A minha chateação. O emprego dele. O apego pelos carros, pela moto...
Se eu não tivesse ficado sem almoçar e não tivesse machucado os pés, não estava fazendo tanto drama.rsrs
Postar um comentário