sábado, 26 de dezembro de 2015

Zé e as vacinas

Concluindo a história mordida de gato
O médico de Jundiaí receitou antibiótico e vacina antirrábica, e preencheu um encaminhamento para o Zé ir na Unicamp tomar a vacina. É... Não tinha a vacina em Jundiaí.
Como estava um pouco tarde, ele achou melhor eu ficar em casa, afinal o dia tinha sido tenso. Trocou de roupa e foi para a Unicamp. Voltou horas depois. Não tinha a vacina na Unicamp. Falaram que ele tinha que tomar no Posto de saúde. À essa altura ele já estava ficando com muita raiva. 
Segunda-feira ele foi logo cedo no Centro de Saúde. Disse que não foi fácil darem a vacina nele. Isso porque ele não tinha o cartão do SUS. Mas enfim, Aleluia... Ele tomou a 1ª dose.
Agora a indignação ficou por conta da 2ª dose que ele tomou no dia 24, no Hospital Mario Gatti.
Ele não ficou nada menos que três horas esperando. E ainda porque, segundo ele, o hospital não estava cheio. Afinal era véspera de Natal. É que, com certeza o número de médicos, enfermeiros, atendentes deve ser reduzido também.
Sei que quando ele foi me buscar no Shopping estava re-vol-ta-do. E sabem por quê?
Deram vacina errada nele. Dá para acreditar?
Ele disse que o enfermeiro chamou um monte de gente na sala. Não manda nem sentar. O Zé disse que o enfermeiro ainda fez uma brincadeira sem graça com ele, depois pegou a vacina e pah. Aplicou. 
Foi aí que olhou a carteirinha de vacinação do Zé e falou. _Vixi. Apliquei vacina errada. Vou lá ver com a doutora, o que fazer. 
O incompetente (não tem outro nome para quem faz isso, tem?) aplicou vacina contra tétano. Contra tétano ele tem que tomar em Fevereiro. 
Resultado: O Zé tomou uma vacina em cada braço. E com isso ficou mal e preocupado. E mais ainda... Revoltado. Indignado!
Fala sério! Você vai tomar vacinas contra raiva, e no fim acaba ficando com muita raiva. De muita gente. E por vários motivos!  
Bom, quando ele me contou eu não acreditei. Como assim? Então dão vacina errada e pronto? O que está acontecendo com os nossos profissionais. Muito trabalho? Falta de experiência? Falta de consideração, de amor ao próximo?
Sei lá que nome damos para isso. O que sei é que é inconcebível uma atitude dessas. E o que nós podemos fazer diante disso? 
Não sei. O que sei é que profissionais da saúde, que mexem com seres humanos não podem se dar ao luxo de errar. É muito sério lidar com uma vida. Não podem brincar de ser médico. De ser enfermeiro. Tem que ter mais responsabilidade.
Sabemos que é humano errar. Mas que dá para ficar com raiva. Ah, isso dá!
Postar um comentário