sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Prioridades e compromissos

Eu estou brava com o Zé. E não posso dizer isso a ele, porque ele não gosta. Não escuta. Se escutar vai ficar bravo. E no fim, quem vai ficar mal sou eu, porque ele inverte as posições.
Quem acompanha o meu blog vai ver que geralmente eu conto as gentilezas que ele faz. Os presentes que me dá. E quem lê deve pensar. A vida dessa mulher é um mar de rosas. Não tem do que reclamar.
Não é bem assim. Ninguém é perfeito. Ele não é. Aliás, de vez em quando o Zé dá umas “pisadas de bola federal”. Eu também não sou perfeita. Tenho muitos defeitos. O principal é ser chata. Tento não ser, mas dependendo da situação... Não consigo.
Por outro lado, eu acho que devemos sim, enaltecer as qualidades das pessoas. E é o que procuro fazer. Mas sei também que os defeitos contam muito em um relacionamento. Às vezes mais que as qualidades. Infelizmente!
Hoje o meu desabafo é porque sinto que não sou prioridade. Não que eu queira. Mas quando a pessoa diz que você é. Você pensa que é!
O que acontece...
Tem uma loja no Shopping Unimart que acho que tem o presente (kit pinga) que a minha amiga secreta pediu. O Zé trabalha perto desse Shopping e almoça lá “quase” todos os dias. Pedi então se ele podia fazer o favor de ver se (realmente) tem o kit na loja e quanto está.
A semana está chegando ao fim e ele não conseguiu ver. Um dia porque foi almoçar com o patrão e de lá foi ao banco. No outro porque estava corrido, etc.
No fim, combinamos de ir ontem, após o meu trabalho. E então... Ele resolve levar o carro na oficina mecânica. E o final da história eu contei na postagem anterior.
Se isso é motivo para eu ficar chateada? Hoje é. Amanhã pode não ser.  
No fim, ele tentou consertar a “pisada”. Quando eu cheguei em casa, ele falou de pegar o outro carro e irmos ao Shopping. Eu não queria mais saber. Para não brigar, liguei o computador e fui trabalhar.
Depois ele saiu para comprar remédios e comer algo. Depois passou na loja 100% vídeo, pois no ano passado vimos esse kit a venda lá. Ele tirou fotos do que tinha e me enviou. Depois ligou para saber se eu queria que ele comprasse. Não tinha o que minha amiga pediu, então não quis outro.
Final da história...
Eu de bico. E o Zé “cabreiro”.
Postar um comentário