segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Natal 2016

E o Natal começou assim...
À noite o Bruno foi me buscar em casa. Eu e o peru.rsrs O Zé tinha ido ficar com a dona Odete. Nós íamos dormir com ela.
No jantar teve peru, farofa, arroz, maionese e tender. O Fernando fez sobremesa também. Estava presente a família do Fernando, eu e Danilo com a Débora (namorada), Letícia e Bruno. Quando deu meia noite trocamos os presentes. Eu ganhei uma sandália e um panetone (com porta panetone) da Letícia. O livro da biografia do Padre Fábio de Melo do Danilo. Uma sandália do Fernando. O DVD da série Tereza Batista do Bruno. Esse último foi uma surpresa, pois, não sabia que tinha à venda (tempos atrás eu cheguei a procurar e não encontrei, então desisti). Após trocarmos os presentes a Letícia me levou na casa da dona Odete.
Chegando lá, o Zé me esperava no portão. Já era quase duas horas. E a dona Odete estava acordada também.

Dia seguinte, acordamos e logo a Adriana (irmã do Zé) chegou. Ela ia ficar com a dona Odete. Eu ganhei dela um kit sabonete do Boticário. Ganhei da Simone/Paola um conjunto de brinco e pulseira. Da dona Odete uma blusa. E o Zé me deu uma bolsa da Mônica Sanches. Também não imaginava!
Sabe, tem presentes que a gente imagina que vai ganhar. Porque um, ou outro pergunta, ou pedem sugestão. Agora quando você não imagina... Fica surpresa!
Bom, depois da casa da dona Odete, passamos em casa para deixar os presentes e roupas e fomos para a casa da minha mãe. Filei o almoço lá.rsrs
O pessoal foi chegando aos poucos. Dia de Natal sempre foi assim. A gente vai depois do almoço na minha mãe, e fica até noite adentro. E a cada um que chegava mais presentes. Ganhei da Duda um diário. Da Eliane uma blusa. Da Daniele uma blusa e um hidratante do Boticário. Até a Adriana me deu presente. Uma chaleira de fazer chá.  
O Sérgio tinha dito uns dias antes, que ia oferecer um churrasco, inclusive bebidas e sobremesa, como forma de agradecimento pela ajuda de todos no casamento. Eu estava tranquila. Dia seguinte não ia trabalhar. E melhor ainda... Ia viajar. Então não tinha pressa nenhuma para ir embora. Aproveitei até o último minuto. Aliás, fui a última a ir embora. Eu e a Adriana.

Obs. Percebi que o Nego estava um pouco alterado. Provavelmente triste. Minha mãe, como sempre tenta disfarçar, distrair. Sei que para eles é doloroso ficar naquela casa, sem a presença do meu pai. Lembrando que Natal é aniversário dele. Então, mais difícil passarmos sem ter um momento de “profunda nostalgia”. Mas... A vida segue! 
Postar um comentário