terça-feira, 20 de outubro de 2015

Será que voltarei a ver meu pai?

Ontem eu fiz uma pergunta ao meu irmão Marcos. Fiz por e-mail. A gente se encontrou na minha mãe no último Domingo. Eu ia fazê-las pessoalmente, mas... Não deu!
A princípio era uma pergunta. A que mais me incomodava nos últimos dias. Mas, ao escrever, surgiu outra.

As perguntas foram essas:

_ Nós vamos ver o pai de novo?

_ Onde você acha que o pai está?

E hoje ele respondeu:

Então, já diziam os filósofos... “existem mais mistérios entre o céu e a terra do que supõe a nossa vã filosofia”.
Já ouvimos tantos relatos de pessoas que à beira da morte viu um ente querido já falecido que veio ao seu encontro... Mas que conseguiu sobreviver e depois deu seu relato...

Jesus quando questionado sobre uma mulher que foi esposa de 07 irmãos (era cultura da época, quando morria o irmão mais velho, outro irmão tinha que desposar a esposa) de quem ela seria esposa (no céu) se foi casada com todos eles. Jesus diz que lá não seria desta maneira como imaginamos... Seríamos todos como irmãos.
Outra passagem é a parábola do rico e do pobre... O pobre foi para o céu e o rico para o inferno e sofreu as consequências da sua vida. Ele pediu (para o pai Abraão) se podia ir avisar seus irmãos para eles se converterem... Mas Jesus diz na parábola que eles não poderiam sair de onde estavam...
Tudo isso pra dizer que a nossa igreja acredita em céu e inferno... Acredita que algumas pessoas, os santos e santas da igreja, pela sua vida e sua fé, já alcançaram o céu imediatamente.
Se Jesus levou o “bom ladrão” imediatamente (foi um caso especial) dizendo: “hoje mesmo estarás comigo no paraíso”. Como não levar diretamente para o céu esses cristãos santos e santas que foram tão especiais em sua passagem pela terra...

Outros passam pelo purgatório. Para nossa igreja, o purgatório é um “lugar, estado” de purificação. Quem lá está, está a caminho do céu, mas precisa de purificação... Mas já não podem fazer mais nada por eles mesmos... Assim, dependem das nossas orações.
Por isso que em nossa igreja nós rezamos pelas almas. Servem para a purificação delas. Cada missa rezada nessa intenção serve para purificar...

Tudo isso para dizer que acredito que possamos ver o pai novamente sim.
Agora onde ele está pertence a Deus. Espero que esteja no purgatório passando pelo processo de purificação e que nossas orações pela alma dele estejam ajudando.

Se estiver, espero que quando eu morrer também possa ir para o purgatório e, assim, o verei na eternidade com Deus. Se eu for para o purgatório, é certeza de que irei para o céu.

Mas lembre-se: temos um Deus de misericórdia. Ele trata a cada um de maneira diferente. Só Deus conhece a história de vida do pai e o coração dele. Só Deus conhece a religiosidade do pai e a relação mística dele com Deus.

A mãe me disse que o pai tinha uma bíblia e que, de vez em quando, ele ficava lendo. É algo que a gente não sabia. Por isso que digo que o julgamento, a salvação pertence a Deus. A nós, pertence a fé em Deus e a esperança na eternidade. Mas essa eternidade, eu espero viver junto de Deus. No céu!

Rezo pela alma do pai porque quando me for, também espero que rezem pela minha alma porque posso estar dependente dessas orações.

Mas o mais importante mana: aqui na terra nós escolhemos a maneira que queremos viver a nossa vida e somos responsáveis por ela e as consequências das nossas escolhas.

Assim, enquanto vivermos e tivermos consciência do que é correto e do que Deus espera de nós, façamos o que Ele espera, porque assim, a nossa eternidade com Ele será mais certa.

Um abraço fraterno do mano Marcos Itou

Ajudei? Respondi ?...rs
Postar um comentário