sexta-feira, 18 de outubro de 2013

O André estava intolerante

Ontem foi aniversário do Zé. Como ele não quis comemorar (na verdade ele não gosta de fazer aniversário), e eu não tinha aula, resolvemos ir ao Centro Espírita. 
Na quinta-feira tem preleção, em seguida o passe magnético. 
Já fui a outro Centro Espírita, aqui do Centro da cidade, mas prefiro a casa Bezerra de Menezes. Gosto muito de ouvir o André. Não tem um dia que não saímos de lá, pensando nas suas palavras, refletindo. 
Só que ontem o André estava um pouco intolerante. Ele estava tão exaltado, que acabou misturando os assuntos. Ontem ele estava, desculpe a expressão... Atacado!
Acredito que ele magoou uma mulher com o que disse, porque ela saiu e não voltou. 
Depois, durante a preleção, um senhor “tentou” dirigir a palavra e foi bruscamente “cortado” pelo André. 
E por fim, ele fez gozação das pessoas (que trabalham no Centro), que escrevem e não se importam se quem vai ler, vai entender o que ela escreveu. Todo mundo riu. Confesso que até eu. Mas eu acho que as pessoas “objeto” do comentário dele podem não ter gostado.
Lembro de um ou outro puxão de orelha. Lembro também o evangelho do dia que falava sobre “indulgência”.
Misturança de assuntos foi isso que o André fez. Cheguei a ficar confusa, não estava entendendo mais nada! 
Pelo jeito ele queria desabafar, senão despejar toda a ira que estava sentindo. Eu não via a hora dele parar de falar. 
Nunca me aconteceu isso, eu simplesmente adoro e me emociono ao ouvi-lo, mas ontem... Sei lá, o clima não estava muito bom. 
Eu não vejo além. Se é que alguém entende o que estou falando. Sei que achei tudo muito confuso, senti o ambiente tumultuado.
É fogo... Quem tem uma imagem a zelar tem que tomar cuidado com certas atitudes. Pode pegar mal. Nesse mundo ninguém é perfeito e todos nós temos “aquele” dia de intolerância. E ontem foi o dia do André.
Postar um comentário