segunda-feira, 8 de julho de 2013

Cirque du Soleil - O Corteo


 
Esse eu não recomendo. Infelizmente! Não tem como esconder a minha decepção. Sempre ouvi falar (muito) do Cirque... É maravilhoso... É extraordinário... É espetacular.
Sempre soube também que os ingressos eram bem caros. Mas pensava: Um deve compensar o outro. Agora, não sei não. Tenho minhas dúvidas.
Em uma outra ocasião, comentei com o Zé que achava caro, mas esse era um sonho dele. 
Sei que esse evento lhe custou R$ 1.045,00. Foi um presente que ele nos deu em comemoração aos 2 anos em que estamos juntos. Fez a reserva, tudo sem me falar. Fiquei sabendo três dias antes. Fiquei surpresa e feliz! Confesso que eu estava receosa em escrever, podia soar como sendo mal agradecida. Mas o Zé achou que eu devia expor o que eu senti, minha impressão. Não precisou falar duas vezes.rss
Fomos mais uma vez pela Trondi Turismo (adoro essa agência), no último Sábado, sessão das 17h. Saímos de Campinas às 14:30h.
Vou tentar justificar minha decepção: Pode ser que eu não estivesse no meu melhor dia. Tive uma semana difícil, problemas com filhos, fora uma gripe que me perseguia há dias. Estava com dor de cabeça que, por fim desconfiei que fosse a pressão e tomei o remédio adequado. A dor começou a passar no final da tarde. Sendo assim, meu humor estava meio abalado. Isso tudo pode ter prejudicado minha recepção ao espetáculo.
Mas voltando... Chegamos ao Parque Villa-Lobos às 16h. Ao avistar as tendas do Cirque, comecei a ficar frustrada (achei pequena).
Lá é assim: ao entrar primeiro passamos por uma grande tenda onde tem vários produtos à venda: vestuário, bolsas, canecas, chaveiros, imãs de geladeira, máscaras, etc. Além de comes e bebes. Eu e o Zé olhamos tudo. Tiramos algumas fotos. Ele comprou um imã de geladeira.
Saindo dessa tenda chegamos a um espaço descoberto, onde tem bancos e banheiros. Ficamos ali, esperando até que as portas que levavam à tenda principal fossem abertas.
Poucos minutos antes das 17h, entramos. As nossas cadeiras estavam localizadas bem no centro do palco, no corredor onde (no inicio do espetáculo) os artistas passaram para se apresentar. Alguns brincavam conosco. Dava até para tocar neles. Não fiz isso.rss
Como em todos os teatros, fotografar era expressamente proibido. Podia ver os funcionários (seguranças) correndo aqui, correndo ali, pedindo para que parassem de fotografar. Tem gente que é teimosa não?
O espetáculo teve um pouco mais de 2 horas de duração, com um intervalo de +/- 20 minutos. Um enredo com um pouco de tudo... Encenação, Malabarismos, Acrobacias, etc. Tinha muitos atores, achei até um exagero. Tinha momentos, em que aquele palco virava uma bagunça só. Eu nem conseguia acompanhar direito. Acho até que cansou um senhor que estava sentado ao lado do Zé. Ele não voltou após o intervalo.
Eu gostei de alguns atos, entre eles, um casal que dançou em uma corda elástica.
Terminado o espetáculo todos se encontraram com o Sergio e Sabrina (guias do ônibus), e caminhamos silenciosamente até o ônibus.
O Sergio sempre pergunta o que achamos do espetáculo. Dessa vez ele percebeu que muitos ficaram decepcionados. Estava na nossa cara!
Geralmente o que gosto compartilho aqui. Vi espetáculos incríveis como Alô Dolly (cheguei a chorar no final) –Hair e alguns outros que recomendei. Espetáculos esses pouco divulgados, pouco comentados, onde a gente entra sem saber o que esperar e sai de boca aberta. Foram além das minhas expectativas. Cirque du Soleil - O Corteo foi o contrário.
Sei que ir ver um espetáculo do Cirque é um sonho de muitas pessoas, conheço algumas delas. Acho que, sonhos se puderem, devem ser realizados. E digo mais, se você tem vontade de conhecer e puder, faça isso. Afinal o que não é bom pra mim, pode ser bom pra você. Sem muita expectativa a probabilidade de se decepcionar é bem menor.
E olha... Se não fosse tão caro, voltaria em uma outra ocasião, para assistir outro tema. Quem sabe poderia vir a ter uma melhor impressão. 


 Sobre o show:
Corteo, que significa "cortejo" em italiano, é uma procissão alegre, uma parada festiva imaginada por um palhaço. Este espectáculo reúne a paixão do ator com a graça e a força do acrobata, para transportar o público a um mundo teatral de prazer, comédia e espontaneidade situado num espaço misterioso entre o céu e a terra.
O palhaço imagina o seu próprio funeral, numa atmosfera de festa e observado por amáveis anjos. Contrastando o grande e o pequeno, o ridículo e o trágico, a magia da perfeição e o charme da imperfeição, o espetáculo evidencia a força e a fragilidade do palhaço, mas também a sua sabedoria e ternura, para ilustrar o aspecto humano de cada um de nós. A música, ora lírica, ora divertida, transforma Corteo numa festa intemporal onde a ilusão brinca com a realidade.
Criadores:
Atos:
Dueto de Adágio, Marionete, Camas elásticas, Candelabros, Copos de Cristal e Cumbucas Tibetanas, Cye Wheel, Duo-Straps, Golfe, Helium Dance, Malabarismo, escadas, cavalinhos, Paraíso, Teatro intimo, Gongorra, Corda Bamba, Tournik.

Trajes e Cenografia:
Cenógrafo
Com a cenografia e a decoração do espetáculo Corteo, o público mergulha em um mundo lírico, um espaço desconhecido entre o céu e a terra.
O palco
O designer do palco, Jean Rabasse, dividiu o Grand Chapiteau e seu palco giratório em duas partes, de modo que os lados do público fiquem voltados de frente um para o outro. Dessa forma, não só assistem ao espetáculo, mas também podem ter uma perspectiva do público, do ponto de vista do artista. Essa é a primeira vez que o Cirque du Soleil adota tal perspectiva.
O palco dispõe de duas plataformas giratórias com cerca de 32 metros de comprimento, cada qual com diâmetro de 12 metros.
Mais de 9.000 imagens foram usadas na fase de Pesquisa e Desenvolvimento da cenografia, misturando diversos estilos visuais e influências, do barroco ao moderno.
As cortinas
Uma vista à exposição "The Great Parade: Portrait of the Artist as Clown", na National Gallery of Canada, serviu de inspiração para que Jean Rabasse pintasse a Procissão Corteo nas cortinas. Sua arte foi influenciada pelo trabalho de pintores como Willette, Picasso, Tiepolo, Pelez e Knight.
A inspiração que deu origem às cortinas do espetáculo veio de uma pintura de 1885, do artista parisiense Adolphe Willette.
Duas enormes cortinas em estilo barroco (com 17 metros de largura e 12 metros de altura) e quatro cortinas de abertura lateral em estilo italiano estão entre os elementos mais atraentes do espetáculo. Foram projetadas no Canadá e enviadas à França para que fossem pintadas.
Duas semanas foram necessárias para pintar com aquarela cada uma das cortinas centrais.
São presas por grandes suportes com motores para enrolá-las.
Figurinos
Durante a criação de 131 fantasias para os 41 personagens do Corteo, a intenção da designer Dominique Lemieux era acentuar a beleza natural dos artistas.
Ela utilizou cerca de 900 tipos diferentes de tecidos, incluindo fibras naturais como seda, linho, algodão e renda, decorados com pedrinhas e lantejoulas. As cores variam do azul ao rosa, passando pelo fúcsia, além de tons ouro e cobre.
Grande parte dos tecidos foi submetida à aerografia para conferir um aspecto envelhecido.

As informações acima e maiores detalhes como: Criadores, Personagens <http://www.cirquedusoleil.com/pt/shows/corteo/show/about.aspx>
Postar um comentário