domingo, 4 de junho de 2017

Como ter sexo a Vida toda com a mesma pessoa

No palco, Tânia Bondezan interpreta Annetta Poché, sexóloga búlgara formada na Sorbonne, que traz ao público técnicas para a vida sexual dos casais, dando receitas insólitas para superar as diversas crises que acontecem ao longo de anos de convivência e com receitas improváveis, garante como ter sexo a vida toda com a mesma pessoa.
Com sua técnica revolucionária, a sexóloga também ensina manter o fogo de um relacionamento e leva à reflexão sobre sexualidade longe do medo, culpa e vergonha.
Sucesso de público na Argentina, onde também está em cartaz há mais de 10 anos, a história se passa numa conferência, por isso é utilizado data-show e os temas são abordados pelo lado científico, mas traduzidos com humor ao público. (1)
Segundo a produção da peça, a ideia é que plateia possa interagir e se envolver com a apresentação. O texto do espetáculo é uma adaptação da peça da argentina Mônica Salvador e está em cartaz há dois anos no Brasil.
O espetáculo é baseado em estudos com sexólogos, psiquiatras e psicólogos e fala sobre, como diz o título, lidar com um relacionamento a dois. Com piadas e de forma divertida, a sexóloga conta técnicas e dicas para melhorar a vida sexual dos casais. (2)
Fonte (1) 
Fonte (2)
Marcamos presença ontem, em mais uma peça, cortesia do Correio Cult. Sabem onde é a fileira “D”? No corredor. Preocupante. Muito preocupante! Do lado de fora eu e o Zé combinamos que, se caso fossemos abordados pela atriz, diríamos que a gente não era um casal. Vai que depois ela vem com perguntas, tipo: Quantas vezes vocês transam? Ou outras mais cabeludas.rsrs Eu tinha dado uma espiada aqui e ali sobre o conteúdo da peça, por isso a gente estava esperto. Escapamos... A atriz até passou na nossa frente, mas abordou outros casais. A peça é como se estivéssemos em uma palestra. No palco uma poltrona. Uma mesa. E ao fundo uma tela onde eram projetados os tópicos. A Tânia é muito dinâmica. Andava pra lá e pra cá – no palco. Falou o tempo todo. Não sei como conseguem decorar. Atores que fazem monólogos ganham minha admiração por isso! Durante a palestra a gente se reconhece em alguns pontos. E mesmo com um assunto meio polêmico, o público se divertiu. Gostei também de conhecer pessoalmente uma atriz global. Lembro-me da Tânia no papel de mãe do Jacinto na minissérie “Chiquinha Gonzaga”. 
Postar um comentário