terça-feira, 6 de maio de 2014

O primeiro suco de couve a gente jamais esquece!

Foi no dia 25 de maio, sexta-feira. Esse foi o dia em que eu tomei o meu primeiro suco de couve. E acredito – ou espero - ter sido o último.
Vai ser ruim assim lá longe.
Quem falou para eu tomar foi minha mãe. Coisas de mãe. Eu liguei para ela na terça-feira dizendo que estava tomando remédio pra gastrite. Aí, mais que depressa ela falou:
_ Toma suco de couve! É muito bom. Melhor que remédio.
Fiz careta. Com certeza. Nem retruquei (acho) por que nem pensei na possibilidade de vir a tomar esse suco.

Eu até gosto de couve... Refogada. Ou então uma salada de couve, com cebola - temperada com limão. Agora suco? Melhor não.
Acontece que... Dois dias depois, minha amiga do trabalho chegou dizendo:
_ Margô, minha irmã falou que pra gastrite é bom suco de couve.
 Pensei. Mais uma que vem com essa ideia.
_ Obrigada pela dica, mas prefiro continuar tomando minhas cápsulas.
Não bastasse. No dia seguinte fui com o Zé jantar em um restaurante.  Engraçado que raramente eu olho o cardápio – tenho preguiça de tirar os óculos da bolsa, sendo assim, o Zé descreve o que tem e escolhemos juntos. Não sei por que, nesse dia peguei os meus óculos na bolsa e comecei a ver o que tinha para beber. E eis que, para minha surpresa, vejo escrito. Suco de couve com abacaxi.
Pensei. Ah, terceira vez em menos de três dias. É Deus que está tocando para que eu experimente. Fiz algumas perguntinhas básicas para o garçom tipo:
 _ Esse suco é bom? _ Fica muito forte o gosto da couve? As respostas foram sim e não, respectivamente. Eu acreditei e pedi o suco.
Fora de brincadeira. Nem o abacaxi. Nem mesmo os dois sache de açúcar (colocaria mais se o Zé não estivesse de olho) atenuaram o sabor. Eu só sentia o gosto da couve. Tomei tudinho por questão de honra.
Bom... Experimentei. E sinceramente... Não gostei.
Couve pra mim, só para comer.
Beber... Só se for dentro de uma cápsula!
Postar um comentário