quinta-feira, 15 de maio de 2014

Conversa no elevador

O elevador parou no andar logo abaixo do meu. Mãe (delegada) e filha entram.
Conversam sobre algo que procuraram e não encontraram.
A filha diz:
_Deve estar lá. Eu não procurei direito. Estou muito cansada.
Eu olhei para ela e pensei... Dá pra perceber.
E a mãe na tentativa de reanimá-la:
_Hoje é quinta-feira. Logo o final de semana chega e você descansa.
E a filha prosseguiu comentando sobre a aula que teria, sobre o professor...
Saímos do elevador e eu fiquei pensando. Nossa! Essa mocinha deve ter no máximo 18 anos. Só estuda. E está cansada?
Imagina a gente (no caso estou referindo a minha pessoa) que tem mais que o dobro da idade dela. Trabalha e estuda. E, além disso, tem todas as preocupações que um adulto pode ter.
Mas antes que eu ficasse compadecida de mim mesma, me lembrei nas inúmeras vezes que comento (ou melhor, fico com lamentações) com a minha mãe dizendo que estou cansada. Imagine falar isso pra ela. Eu que tenho quase metade da idade dela, e que, com certeza não passei nem um décimo dos problemas, perturbações, dificuldades, etc. que ela passou e ainda passa.
Só assim mesmo pra gente para de olhar para "o próprio umbigo" e ter empatia pelo próximo.
Postar um comentário