sábado, 11 de janeiro de 2014

Tsunany

foto que a Sandra tirou
A Nany participa dessa campanha há três anos. Condecorada a “MC” – Madrinha de Cerimônia, ela abre a campanha com seu espetáculo.
Assisti Tsunany no ano passado, na 28ª APTC. Mesmo assim quis ver novamente.  
A Nany começa explicando o que é um stand-up.  Dessa vez ela incluiu no repertório uma viagem que fez recentemente para o Japão. Ela falou sobre os banheiros públicos. Que são cheios de botões. Ela falou que tem um que aquece. E um outro que toca música. Como eles são coladinhos um no outro, segundo ela, conforme você faz a sua necessidade, coloca a musiquinha para tocar. E assim, ninguém percebe o que acontece na casinha ali dentro.rss
Ela falou também que no Japão, uma criança de 6 anos vai à escola sozinha. Que as meninas usam aquelas roupinhas que se alguma garota vestir aquilo aqui, vão chamá-la de “biscate”. Foi ela que falou.rss
Além de repetir alguns outros assuntos do outro stand-up como: o orgulho por ter se formado na Unicamp. O orgulho de ser cidadã caldense – ela mostrou a tatuagem que fez nas costas com os dizeres: Made in Poços de Caldas, falando: _Agora quando comem sabem a procedência. Ela é muito bocuda mesmo.kkkkk
Contou mais uma vez sobre o “chá de cadeira” que tomou para tirar o visto. Ela queria muito ir a Disney – tomar café com a Cinderela. Contou sobre o apuro que passou em um brinquedo no parque de diversão. Falou sobre o celular. Que hoje, quem tem celular de tecla não é uma pessoa, é um indivíduo. E desceu do palco. Quis ver o celular de algumas pessoas. Para variar, sentou no colo de um rapaz. Essa Nany apronta.rss
Sem falar que como ela estava se recuperando de uma gripe, às vezes ela se enrolava toda. Ou perdia o foco, ou extrapolava. Pedia desculpas dizendo que devia ser efeito das medicações.rss
Não sei aonde ela arranja fôlego para falar tanto e disparado - às vezes nem entendo - ela falou por quase 2 horas. Se bem que dessa vez ela pediu água.rss
A Nany é assim... Ela quase mata a gente de rir com seus gestos e palavrões. Por outro lado, ela nos emociona quando canta a música da Cinderela. Quando declama um poema. Quando fala com muita calma e seriedade sobre sonhos, sobre a vida. Ela é demais. Já falei isso!!rss
Suas apresentações são imperdíveis. Dá para ver mais de uma vez que a risada é garantida! 
Postar um comentário