segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

O Monge e o Executivo

Sinopse:
Você está convidado a juntar-se a um grupo que durante uma semana vai estudar com um dos maiores especialistas em liderança dos Estados Unidos.
Leonard Hoffman, um famoso empresário que abandonou sua brilhante carreira para se tornar monge em um mosteiro beneditino, é o personagem central desta envolvente história criada por
James C. Hunter para ensinar de forma clara e agradável os princípios fundamentais dos verdadeiros líderes.
Se você tem dificuldade em fazer com que sua equipe dê o melhor de si no trabalho e gostaria de se relacionar melhor com sua família e seus amigos, vai encontrar neste livro personagens, idéias e discussões que vão abrir um novo horizonte em sua forma de lidar com os outros.
E impossível ler este livro sem sair transformado.
O Monge e o Executivo é, sobretudo, uma lição sobre como se tornar uma pessoa melhor.

***
Há muitos anos atrás, eu tinha ouvido falar desse livro. Talvez alguém tivesse sugerido, ou mencionado o quanto o mesmo era bom. Cheguei a pensar em ler algumas vezes, porém outros foram passados na frente. Semana passada, aproveitando que estou de férias da faculdade, e no trabalho tudo caminha lentamente - devido ao final de ano – resolvi baixar da internet para ler. Ou seja, fiz a leitura em uma semana. Até acho que demorei. Mas motivo não faltou, além do trabalho, é claro.
Eu lia cuidadosamente. Às vezes relia e anotava os melhores trechos. E não foram poucos. 
Apesar de não ter participado fisicamente desse retiro, me sentia como se estivesse ali, na sala junto a eles. Pude aprender muito. Senti quando a semana acabou, assim como eles.
Neste livro James C.Hunter conta a história de John, um executivo – gerente-geral de uma grande indústria – que está passando por uma fase ruim na empresa, na família e até mesmo com um time de beisebol que ele treina. Tudo leva a crer que o problema era má liderança. Sua esposa o aconselha a pedir ajuda ao pastor da igreja. John procura o pastor – meio contra vontade – e é aconselhado a participar de um retiro de uma semana em um mosteiro. No retiro John conhece Simeão (nome de batismo no mosteiro) que foi um grande executivo e líder, cujo nome é Len Hoffman. Além de John ter uma profunda admiração por Len, saber que seu nome ali no mosteiro é Simeão deixa-o sem chão.  Ele percebe que ali encontrará a resposta para um sonho que o persegue por anos.
John fica nesse retiro com mais cinco pessoas: Lee, Chris, Teresa, Kim e Greg.  O que a princípio seria uma semana em que o tempo não iria passar, com o decorrer dos dias, tudo passou a ser bastante prazeroso.
Durante as aulas surgem muitas dúvidas, contradições. Muitos colocam suas experiências como líderes. Cada palavra citada era estudada, analisada em busca de uma melhor definição.
Pudemos conhecer a diferença entre poder e autoridade. Felicidade e alegria. Necessidades e vontades além de outras. A palavra amor é colocada a todo o momento, talvez até mais do que a palavra líder.
Em síntese, O Monge e o Executivo é um livro que apesar de falar de liderança, nos desafia a entender o amor com um comportamento e não um sentimento. Confesso que não conhecia essa definição.  Aliás, quase ninguém do retiro.rss
Simeão explicou que, quando pensamos no amor como algo que fazemos para os outros e não como nos sentimos perante os outros, encontramos a essência da liderança.
Por essas e outras, após cada aula somos levados a refletir, assim como todos os participantes. Um livro envolvente e que apesar de falar de liderança... Todos devem ler, afinal todos nós um dia podemos ser líderes, seja na escola, no trabalho, na família!
Em um determinado momento da leitura lembrei-me de que sempre ouvi falar – e concordo plenamente – que Jesus é o maior líder que já existiu. E continua existindo.
E o que ele sempre pregou? O amor. Que foi acima de tudo, o que aprendemos nessa história.
Postar um comentário