terça-feira, 11 de agosto de 2015

E depois que meu pai se foi...

Não está nada fácil.
Ontem tive que tirar a foto do meu pai, que estava no porta retrato, na sala.
Cada vez que eu o via, desabava a chorar.

Pós-escrito de 01/09/2015: 
Amanhã vai fazer um mês que o meu pai se foi. Quanta saudade!!
E amanhã a família estará reunida novamente, só que dessa vez no cartório, para assinar a escritura.
Às vezes fico admirada do quanto estamos sendo fortes. Minha mãe então... Está me surpreendendo. O amor (a dedicação) que ela tinha pelo meu pai eu nunca vi igual.
Não falamos muito sobre o meu pai. Cada um evita como pode. Sabemos que se falarmos dele, a tristeza vai tomar conta. Sabemos também que o tempo e Deus são nossos aliados. Com a ajuda deles estamos conseguindo passar por essa etapa.

Pós-escrito de 17/09/2015:
Hoje bateu saudades do meu pai. Mais que os outros dias.
deve ser porque liguei na minha mãe.
Quantas vezes eu fiz isso e meu pai que atendia.
Queria poder ouvir a voz dele de novo.


Pós-escrito de 10/10/2015:
Já se passaram mais de dois meses. Se parar para pensar, parece que foi ontem. Só que eu não paro.
Aliás, pelo que percebi ninguém tem parado. Nem para pensar. Nem para falar. Nada que nos faça "cair na real" de que meu pai não está mais entre nós.
Ontem conversando com a Eliane, ela falou: _Ah, eu vou na vó e faço de conta que o vô está no bar. E que eu fui embora antes de ele voltar.
Fogo é quando eu vou na mãe e vejo as fotos dele. Dá uma tristeza. E não tem jeito... Dá um aperto no peito, e os olhos começam a lacrimejar.
Quanto tempo será que vai ser assim?

Pós-escrito de 03/11/2015:
Essa noite eu sonhei com o meu pai. Deve ser porque ontem foi dia de "Finados".
Sonhei que meu pai ia me levar de carro, em algum lugar - não sei ao certo se era trabalho ou escola. E tinha que estar nesse lugar às 8h. Só que ao chegar onde meu pai estava (não sei que lugar era aquele), vi em um relógio que estava na parede que já eram 8h. Então falei para ele que não precisava mais ele me levar. Não ia dar tempo.
Eu acordei um pouco agitada. Ao acordar lembrei que meu pai já tinha falecido, e quis voltar a dormir imediatamente. Para ver se via ele novamente. Para falar com ele, de acordo. Não consegui mais... Dormir... Falar com ele.

Pós-escrito de 04/12/2015:
Hoje a Shirlei conseguiu acabar com o meu dia. Sem querer, mas acabou!
Como sempre faço antes de ir para o trabalho, eu dou uma olhada nas mensagens do WhatsApp e Facebook.
E quando abro o facebook o que vejo? Fotos do meu pai. Ela tinha postado na noite anterior. Ela dizia ter desabado, ainda mais com a proximidade do Natal. Primeiro que passaremos sem ele.
Meu coração apertou. Meus olhos se encheram de lágrimas. Fiquei muito triste. E pensei na minha mãe. Ela vai ficar triste também. Pensei até em ligar para ela na hora do almoço, mas desisti.
E é assim que estamos levando. Uma hora um desaba. Outra hora o outro. Um tenta apoiar o outro. Mesmo sentindo muito também.
Eu sinto muitas saudades do meu pai. Tanto que procuro não pensar muito nele. Também procuro não ver fotos dele. Tudo isso é motivo para chorar.

Sei que uma hora vai passar. Vai ficar só a saudades. Sem a tristeza. Mas por enquanto, é assim que fico. Que ficamos! 



Postar um comentário