segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Bola de neve

Estou bastante apreensiva com o futuro. Estamos vivendo uma crise que sinceramente, eu acho que nunca passei. Passei apertos financeiros alguns anos atrás, mas porque fazia faculdade.
O desemprego está eminente e presente em cada família. Só na minha são dois desempregados. O Zé, desde 2014. E a Silvana.
Mas não é só na minha família. A Célia disse que o marido, genro e filha estão desempregados. A Rosi está desistindo do comércio que é o único sustento da família. Ela está pensando em voltar a trabalhar e está pedindo emprego para a filha.
Minha colega de departamento, o marido está desempregado. A gente comenta que no site EmpregaCampinas, onde estamos sempre dando uma olhada, as vagas de emprego caíram drasticamente. Na nossa área nunca faltou. Ultimamente é uma por mês. E olhe lá!...
Está virando uma bola de neve. Porque sem emprego o jeito é parar de consumir algumas coisas e reduzir outras. É o que eu tenho feito. Se eu ia ao cabeleireiro retocar o cabelo de 20 em 20 dias. Hoje seguro o máximo que posso. Manicure? Agora só em ocasiões especiais.
E eu sei que, diminuindo minhas idas ao salão, elas também terão que reduzir gastos, e assim por diante. E esse é só um exemplo do que estou cortando. Ou diminuindo.
Estou trabalhando. Ganhando pouco. Mas nem posso reclamar. Poderia ser pior. Poderia estar desempregada.
Eu trabalho em escritório. Vejo muitos clientes reclamarem que a situação está difícil. Mas vejo que outros não estão sentindo tanto. Vejo clientes fechando as portas. Vejo outros adquirindo outros bens. Fico sem entender...
Às vezes penso que, se cada empresário que dispensou colaboradores, contratasse ao menos um, já aliviaria um pouco essa crise. Mas, infelizmente não é o que está acontecendo. Muitos estão vendo que os colaboradores que ficaram estão se desdobrando, então deixam como está.
Sinceramente, fico pensando, pensando. Martelando as ideias, tentando entender o que está acontecendo. Ver de quem é a culpa. Uma coisa eu sei. Se a situação não está fácil para mim, imagine para aqueles que estão desempregados. Só Deus mesmo para nos ajudar em uma hora dessas. E qual a solução? Não desistir de procurar e orar. Orar muito para Deus tomar conta, porque o mundo está cada vez mais perdido. E quem está pagando o “pato”, somos nós.
Postar um comentário