terça-feira, 22 de setembro de 2015

Praia de Pitangueiras - Guarujá

Para aproveitar o último fim de semana de férias do Danilo, descemos para a praia. Depois do ocorrido no ano passado, preferimos ficar na praia de Pitangueiras.
Como estávamos em cinco, fomos no carro da Adriana.
Saímos de Campinas passava das 7 horas. Fizemos uma paradinha para tomar café. E pegamos congestionamento. Parece que todo mundo resolveu descer. Também... Com o calor que fez durante a semana!
Quase cinco horas depois, finalmente chegamos. Como não reservamos nada, começamos a procurar onde ficar.
Primeiro passamos no Hotel Guarumar. Já de cara não gostei da piscina. Fica ao lado da entrada. Ou seja, todo mundo que entra no hotel enxerga quem está nela. O recepcionista disse que tinha um quarto para cinco pessoas por 550 reais. Achei muito caro. O Zé não. Em todo caso fomos ver. Não gostamos. Resolvemos ir tentar outras opções.
Em seguida fomos a uma pousada – que eu esqueci o nome. Gostei da recepção. O preço também era legal. Mas não tinha quarto disponível. Mesmo que tivesse acho que não poderíamos ficar. A recepcionista disse que só reservam para no mínimo três diárias.
Dali eu e a Dri fomos a pé para o apartamento que ficamos em 2013, que fica na Avenida Leomil. Falamos com o porteiro e ele só ia saber se teria apartamento disponível para alugar após as 14hs. O Zé pegou o número do telefone dele.
Nossa quarta opção era um apartamento que a Dri ficou em 2013. Com o Sérgio e Karen. Enquanto o porteiro via se tinha algum apartamento disponível, o Zé e o Henrique foram à Pousada do Francês – que ficava quase em frente. 
Bom, o porteiro disse que tinha um apartamento que poderia alugar por 200 reais a diária. Para ficar até o Domingo ficaria 400 reais. Nisso o Zé e o Henrique chegaram dizendo que na pousada do Francês o preço era assim: 180 o quarto de casal e 240 o quarto de casal + uma cama de solteiro. Isso para ficar até as 18hs do Domingo.
Fazendo as contas, ficar na pousada nos custaria 20 reais a mais. As compensações de ficar na pousada: tem toalha de banho, lençol e travesseiros (com fronha), café da manhã e piscina.
Fechamos ficar na pousada. 1ºandar. Quarto 8 Dri e Henrique. Quarto 9 Zé, eu e Nilo.
Nisso já passava do meio dia. Já estávamos cansados e com fome. Subimos para o quarto para descarregar as malas e trocar de roupa. Próximo passo... Almoçar.
Fomos a um boteco-lanchonete bem perto. Comemos um prato feito, que por sinal estava delicioso. Ou a fome era grande.rss

E finalmente... Praia. Só que... O tempo estava nublado. Não tinha céu azul. Nem sol. Estava um ventinho frio. Deu para molhar o pé na água, caminhar, beber uns aperitivos e conversar muuuito.

Resolvemos voltar antes de escurecer para o hotel. À noite a gente ia passear no calçadão. E com o Danilo mancando, não podíamos pensar em ter pressa. E assim fizemos. Fomos caminhando até o Shopping. Lá paramos para comer. Voltamos pela rua paralela a da Praia, pois, a Dri queria ver biquínis. No fim não encontramos a loja. A noite não estava fria. Pelo menos não tanto quanto achávamos que estaria. Tinha parado de ventar.

No fim, não era nem 21hs e já estava cada um no seu quarto. O cansaço bateu e fomos dormir.
Domingo, quando abri os olhos, às sete horas, o Zé e o Nilo já estavam acordados. O café seria servido das 8hs às 10hs. Subimos para o último andar (onde o café seria servido), as mulheres estavam terminando de preparar o balcão. Ainda faltavam uns 10 minutos. Ficamos sentados na beira da piscina, aguardando.


Até aquele momento tinha sol. Enquanto tomávamos café, ele foi sumindo, as nuvens foram encobrindo-o.
Mas isso não nos desanimou. Fomos nos trocar, pegamos os apetrechos - entre eles o cooler, e zarpamos para a praia.
O sol aparecia e sumia. Deu até para entrar na água. Foi o que fez a Dri, o Henrique, o Danilo. Até eu entrei um pouquinho. O Zé só ficou na caminhada novamente.
Passamos a maior parte do tempo, sentados... Conversando. E no bate papo rolou de tudo. Até curso de inglês, onde cada um passou um pouco do que conhecia – ou estava apendendo. Entre uma conversa e outra, conseguiram dar fim na cerveja (o que não é uma tarefa difícil para eles). Comemos porção de pastel e bebemos (acho que foi só o Zé e eu) saquerinha.
Estava tudo muito bom, para já era hora de “levantar acampamento”. Voltamos para o hotel. Tomamos banho e arrumamos as malas. Mas, antes de pegar a estrada resolvemos ir comer, pois, sabíamos que a noite (o retorno) ia ser loooonga. E foi!rss
Valeu o fim de semana. Mais um ano que aproveitamos o Danilo - de férias. Dessa vez com menos pessoas. Dessa vez sem assalto. Só o Danilo que estava dando umas mancadas. rss

Mas foi muito bom! Nem mesmo o congestionamento da ida e da volta nos incomodou. Pelo menos não a mim. Até porque fui e voltei assistindo vídeos musicais. 
Postar um comentário