sábado, 23 de novembro de 2013

Feira Medieval Européia

Parecia que ia acabar o mundo, de tanto que chovia.
Já perto da estação (onde estava acontecendo o evento) liguei para a Adriana. 
Queria saber como estava lá dentro. Se estivesse como estava na rua, a gente ia embora.
Ela falou que devíamos ir, pois tinha coisa legal... E lá fomos nós!
O Zé meio contra vontade. As ruas alagadas e com isso, esfriando.
Para chegar do carro até o local coberto, tomamos muita chuva (apesar do guarda-chuva), tivemos que pular umas poças enormes de água. Teve uma hora que pulei e... O tênis afundou uns 5 cm no barro.
As calças ficaram molhadas até o joelho, os sapatos então, nem se fala. E mesmo com blusa de frio (que molhou um pouco) eu sentia muito frio.
Encontramos a Adriana e o Henrique. Demos uma voltinha rápida e fomos comprar uma bebida para aquecer. O Zé se animou quando viu uma batidinha de nome “capeta”. Falou que bebia dela lá em Porto Seguro. 
Com os comes e bebes em mãos, fomos sentar. Ficamos em um local (bem no centro) onde podíamos ver as pessoas que passavam. Foi quando comecei a me encantar. Muita gente estava vestindo roupas da época. Aqueles vestidos longos, algumas de plebéia. Só vi uma de mulher da corte. Tinha os homens caracterizados de todo tipo.
Eu ficava olhando e perguntando para minha irmã, quem eles estavam representando. Tinha os bobos da corte, fada, guerreiros e tinha também um rei. Esse foi o que estava mais bem caracterizado, na opinião de todos.
Ficamos por ali, caminhando, apreciando as barracas. Tinha de tudo. Roupas, bijuterias, videntes, a maioria eram barracas de comidas e bebidas. 
Mais além, saindo da estação, tinha o parque, que estava fechado. Também não ia ter as Justas. Uma pena! Acho que devia ser a atividade mais legal do evento. Tinha também a barraca de tiro ao alvo, com arco e flecha. Infelizmente a chuva atrapalhou tudo.
Já estava escuro quando ouvimos no alto falante que ia ter uma apresentação teatral. Perguntamos onde seria e resolvemos ir ver. Caminhamos por uns 10 minutos, no escuro, pisando no barro... Voltamos aos tempos medievais. Só faltava a roupa.rss
Chegamos ao local onde ia ser a peça. Um barracão escuro. Quase tivemos que entrar de barco, tanta era a água que tinha no chão. Podíamos ver lá na frente algumas pessoas sentadas, aguardando o início do espetáculo. No palco, algumas pessoas limpavam o chão (puxavam a água). Escolhemos algumas cadeiras e sentamos na 2ª fileira. Os pés ficaram um aqui e outro ali, desviando das poças de água que estavam no chão.
A peça começou com muita música e foi o tempo todo assim. Os atores cantavam, dançavam e faziam palhaçadas. Tinha até um duende muito, muito engraçado. Adorei a peça. Os figurinos então! Sempre fui fascinada por esses vestidos de época.
A peça terminou com muitos e merecidos aplausos.
Agora é hora de voltar... Para o século XXI. Rss
Ainda não!
Fomos lá para a taberna - um cantinho na estação - onde estava acontecendo muita música e dança. Uma banda tocava e o povo farreava na frente. Foi muita animação! Sentia-me em plena época medieval, apesar de não estar caracterizada.
Realmente a Adriana tinha razão. Fiquei maravilhada com tudo! 
Apesar da chuva, apesar do frio, aproveitamos o máximo que pudemos.
E até combinamos que no próximo ano, se tiver esse evento novamente, voltaremos caracterizados.
Postar um comentário