segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Escritores da Liberdade

Sabe aquele dia que você não está a fim de sair de casa? Ontem foi um deles. O Zé sugeriu alguns lugares, mas não teve jeito. Eu queria mesmo era ficar quietinha. Se possível sentadinha no sofá vendo um filminho. Então comecei a procurar no Netflix e encontrei “Escritores da Liberdade”. Li a sinopse e vi quem estava no elenco. Gostei dos dois. Até que não foi difícil decidir. Sem muita demora, baixamos a cortina e começamos a assistir.


Título: Escritores da Liberdade (Freedom Writers)
Ano: 2007- EUA
Elenco: Hilary Swank, Patrick Dempsey, Ricardo Molina
Gênero: Comédia dramatic

Sinopse: Uma jovem e idealista professora chega à uma escola de um bairro pobre, que está corrompida pela agressividade e violência. Os alunos se mostram rebeldes e sem vontade de aprender, e há entre eles uma constante tensão racial. Assim, para fazer com que os alunos aprendam e também falem mais de suas complicadas vidas, a professora Gruwell (Hilary Swank) lança mão de métodos diferentes de ensino. Aos poucos, os alunos vão retomando a confiança em si mesmos, aceitando mais o conhecimento, e reconhecendo valores como a tolerância e o respeito ao próximo.
Fonte: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-60975/

****
Para mim, filme bom é aquele que depois que termina a gente fica refletindo. E esse foi um desses. Aliás, não só refletindo. Quando ele terminou, eu e o Zé estávamos discutindo. Ele discordando de algumas coisas. Eu tentando o fazer entender que não tinha outro jeito. E é bom eu parar por aqui senão dou spoiler. Eu não ligo que me contem (até prefiro), mas sei que a maioria não gosta.
Na verdade, quem lê a sinopse deve imaginar. Outro filme sobre professores que conseguem transformar alunos problemáticos em cidadãos comuns. Porém, o método utilizado pela professora, foi bem diferente. Ela utilizou a leitura e a escrita. Para quem gosta dessa dupla, o filme se torna mais envolvente – emocionante. Aliás, a interpretação da Hilary foi brilhante. Ela se emocionava com os alunos. E transmitia isso para quem estava do outro lado da tela. Eu chorei. Várias vezes.
No fim, ficar em casa, em um Domingo, foi uma ótima opção. 
Postar um comentário