segunda-feira, 13 de julho de 2015

Os Miseráveis - o filme

Sinopse: Adaptação de musical da Broadway, que por sua vez foi inspirado em clássica obra do escritor Victor Hugo. A história se passa em plena Revolução Francesa do século XIX. Jean Valjean (Hugh Jackman) rouba um pão para alimentar a irmã mais nova e acaba sendo preso por isso. Solto tempos depois, ele tentará recomeçar sua vida e se redimir. Ao mesmo tempo em que tenta fugir da perseguição do inspetor Javert (Russell Crowe).


***
Finalmente conseguimos sentar para assistir esse filme.
Nem sei por que demoramos tanto! Eu sou fã do Hugh Jackman e do Russel Crowe. Os dois atuam neste filme. O Zé é fã da Anne Hattaway. Ela também atua neste filme. Nós adoramos música. O filme é musical.
Acredito que a enrolação foi porque a gente sabia que ele era longo. Mais de duas horas e meia de duração. Ou seja, a gente tinha que estar com tempo. E encontramos ele no Sábado.rss
Então vamos ao filme, que começou e confesso, eu demorei um tempinho para reconhecer o Hugh. Ele estava bastante magro.
Na cena, vários prisioneiros acorrentados um ao outro. Jean (Hugh) é um deles. Eles estão debaixo de uma forte chuva, puxando um navio. Ao voltarem para a prisão Jean recebe um papel onde diz que ele está livre, porém, com a condição de se apresentar às autoridades todos os anos. Caso não faça isso... Volta para a prisão.
Passados alguns dias, e tentando voltar a viver em sociedade, Jean é discriminado, o que o revolta. Assim, ele toma a decisão de rasgar o papel que o incriminava. Ou seja, ele decidiu que não se apresentaria as autoridades, como deveria. Isso faz com que ele seja perseguido o filme inteiro por Javert.
O filme passa por fases. A que relatei foi a primeira. Passados alguns anos, vemos Jean como prefeito de uma cidade e dono de uma fábrica onde trabalha a jovem Fantine (Anne Hattaway). Mas logo as colegas de trabalho descobrem que ela tem uma filha e armam uma confusão, terminando com a demissão da pobre coitada.
Desesperada, pois, precisa arrumar dinheiro para enviar ao casal que cuida da sua filha, ela vende cabelo, dente e por fim acaba se prostituindo. Debilitada pelas circunstâncias, uma noite ela se recusa para um homem, causando um tumulto. Jean que passava por ali, retira-a do local, e a leva para um hospital.
Em uma visita, Fantine pede a Jean para cuidar da sua filha - Cosette. Mal ela termina de falar e ele tem que fugir do hospital, pois Javert chega para prendê-lo.
Logo que ele encontra a menina, Javert também o encontra e mais uma vez Jean tem que fugir. Dessa vez levando Cosette consigo.
Mais alguns anos depois, vemos Jean com Cosette (Amanda Seyfried) andando pelas ruas. Ela já é uma moça. Ali os olhos de Cosette e Marius (Eddie Redmayne), (um jovem revolucionário, de família rica) se cruzam. Eles se apaixonam.
Eles conseguem manter um breve contato, mas ao ser descoberto por Javert, mais uma vez Jean foge. Apesar dos protestos Cosette vai junto.  A revolução estoura. E Jean sabendo que Marius está entre os jovens rebelados, vai para junto deles. Em um confronto com a polícia, os jovens são mortos.  Marius fica ferido, mas Jean consegue retirá-lo do local.
Agora acho melhor eu parar. Porque se eu continuar conto todo o filme, inclusive o final.rss
Resumindo... O filme retrata a vida de um povo pobre. Miserável. Daí o título.
Por um instante o Zé quis desistir de continuar assistindo. Algumas cenas nojentas. Lugares imundos. As pessoas, geralmente sujas.
Eu achei um filme bastante tenso. Aquele homem não teve sossego do começo ao fim. Também não gosto de filmes de guerra e tive que ver jovens morrendo em busca de um ideal. É lógico que o fato de ser musical ajudou, e bastante. Eu provavelmente não assistiria se não fosse por isso.
E só para constar... Gostei de ver e rever o ator Eddie Redmayne. Vi-o há pouco tempo no filme “Teoria de Tudo”.
Em síntese, o filme é muito bom. Elenco de primeira linha. Fiquei curiosa para saber se eles realmente cantam. Será? Porque se cantam... É de tirar o chapéu!

Super-recomendo!
Postar um comentário