sábado, 28 de março de 2015

Trair e Coçar é só começar

Como essa é a segunda vez que assisto a essa peça, resolvi procurar nos meus arquivos do blog o que escrevi sobre a primeira. Não encontrei nada. Que coisa! Por que não escrevi, não sei. Lembro que foi muito legal. Lembro que demos muitas risadas. E lembro que foi no teatro do Liceu.
Sendo assim, quando vimos que ganhamos os ingressos, até pensamos em não ir. Mas como, o que é bom pede Bis, decidimos ir SIM. Até porque os atores poderiam ser outros. Bom, pelo menos o teatro é. Dessa vez é no Brasil Kirin – do Shopping Iguatemi.
Assistimos na sexta-feira, dia 27/03. Sessão das 21hs. Nossos assentos N13 e N14.
Chegando ao teatro, trocamos os ingressos e fomos jantar. Liguei para a Letícia e ela ficou com a gente. Depois nos dirigimos ao teatro e a Letícia voltou a trabalhar. Lá encontramos o  Alexandre, que também assistiu a peça, acompanhado de um amigo. O Sérgio também tinha ganhado ingressos.
Sobre a peça, nada mudou da que eu tinha visto anteriormente. O enredo, cenário e personagens são os mesmos. Quantos aos atores, não me lembrava de todos. A empregada Olímpia continua a mesma. Se não me engano o patrão dela - Dr. Eduardo também. O que com certeza mudou, foi o personagem do vendedor de joias. Até porque o que aprontam com ele e a reação do mesmo são inesquecíveis. Uma surpresa!
Bom, a história se baseia nas confusões que a empregada – Olímpia – apronta. Ela entende tudo que falam de maneira errada. Com isso quase causa a separação dos patrões, dos amigos dos patrões. Nem o padre escapa das confusões.
E mesmo a gente sabendo o que ia acontecer, é sempre motivo de gargalhadas. Aquela empregada apronta demais, faz muita confusão. Uma comédia que dá para ver várias vezes. Recomendo!!
Postar um comentário