segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Tirando o atraso

Título: Tirando o atraso (Dirty Grandpa)
Data de lançamento: 4 de fevereiro de 2016 (1h 42min)
Direção: Dan Mazer
Elenco: Robert De Niro, Zac Efron, Aubrey Plaza, Dermot Mulroney
Gênero: Comédia
Nacionalidade: Eua
Sinopse: Um dia após o funeral de sua avó, Jason Kelly (Zac Efron) é encarregado de levar seu avô, Dick Kelly (Robert De Niro), até Boca Ratón, na Flórida. A viagem não o agrada nem um pouco, já que em poucos dias ele irá se casar com a controladora Meredith (Julianne Hough) e, diante da proximidade do evento, tem várias pendências a resolver. Apesar disto, Dick insiste que o jovem viaje com ele. Logo o avô se revela bastante assanhado, já que não vê a hora de voltar a transar com uma jovem, algo que não faz há 15 anos.
Fonte: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-191193/
Tarde de domingo. Nada para fazer. Lembrei que a Adriana tinha comentado na casa da Eliane e no grupo do whatsapp que tinha assistido ao filme acima. Ela falou que achou bem engraçado.  Então resolvemos conferir. Ajudou muito saber que no elenco tinha três atores que considero muito. Pelo menos considerava até ver o filme. Resumindo o que eu vi no filme:
Muitos palavrões. Drogas. Bebidas. Cenas de nudismo. E a decadência de Robert de Niro. Fiquei triste também com o papel do Dermot Mulroney que no filme faz o papel do pai do Zac. Apareceu pouco, é verdade. Mas não gostei do papel que ele fez. Sou muito fã dele. Tanto que já fiz a maratona Dermot Mulroney -e postei aqui. Quanto ao Zac, tinha assistido ao filme “Morte e Vida Charlie” que fez com que eu me tornasse fã dele também. Só que depois desse filme, infelizmente, os três caíram no meu conceito. Nesse caso, a última impressão é a que está ficando.
Mas fiquei mais impressionada com o papel do De Niro. O que me levou a pensar e questionar. Será que lá fora, o desemprego está tão grande (também) que até grandes atores, estão aceitando qualquer papel para continuar na ativa? Porque é o que pareceu.
Aqui no Brasil, hoje em dia é assim. Tenho visto no meio musical. Os “veteranos” fazendo parcerias com as “revelações” para poder continuar nas paradas – ou na mídia. Talvez até não gostem do estilo musical, mas, se é necessário, estão topando qualquer “parada”. O importante é continuar aparecendo. Eu não concordo com isso!
Eu vivi e curti a época em que tínhamos boas músicas, boas novelas, bons filmes. Até tento gostar e curtir o que tem surgido, mas... Nem sempre dá para “engolir”. Conclusão: Devo estar ficando velha. E chata!
Postar um comentário