terça-feira, 22 de janeiro de 2013

dor de mãe

Estou aqui pensando...
Dizem que nada acontece por acaso, que pessoas passam pela nossa vida por algum motivo.
A Sueli vem de 15 em 15 dias limpar o escritório. Ela deve ter a minha idade. É uma mulher bonita, se veste bem, faladeira. Enquanto limpa ela fala coisas ou faz gestos que nos faz rir. No fundo essa mulher sente uma tristeza muito grande. Ela perdeu um filho “João” há pouco mais de 1 ano. Eu não trabalhava aqui quando aconteceu, me contaram. Ele foi assassinado, dizem que roubava, ela nega. Eu não estou aqui para julgar ninguém, nem procuro fazer muitas perguntas para não ferir ainda mais o coração dela.
Eu não sei o que é essa dor, nem imagino! Eu fico ouvindo ela “reclamar” a falta que ele faz. Esses dias ela estava incomodada porque não estava conseguindo mais pegar a estação de rádio que ele ouvia, percebo que ela quer manter “viva” toda e qualquer lembrança do João.
A Sueli acabou de falar que não pode nem pensar em ficar em casa, sente mais ainda a falta do filho. Disse que foi limpar o quarto dele, quando abriu a porta foi logo falando:
 _João, acorda! ...ela disse que está pirando.
Fiquei olhando pra ela, ouvindo, pensando, refletindo, não falei nada.
Mil perguntas vieram à minha mente e sei que a maioria em vão, pois para algumas questões não existem explicações.
Diante de tudo isso me sinto impotente, sem saber o que fazer. Penso que tenho 3 filhos e que em uma situação assim, provavelmente qualquer tentativa para me confortar seria inútil.
Então só me resta rezar por essa mulher e pedir que Deus a conforte!
Postar um comentário