quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Pedra da Cruz

Segunda-feira, véspera de carnaval dia 15/02/2010. Estou dormindo na minha cama improvisada, na casa da Rosi em Cruz Vera-MG. São 8hs30mins quando ouço: _margô?

Por um breve momento pensei porque me chamar tão cedo quando estamos de folga, mas lembrei que havíamos combinado de subirmos a montanha no alto da Pedra da cruz.
Pedra da Cruz, este nome devido a imagem de uma cruz (está meio apagada a parte de baixo)

É claro que enrolei na cama o suficiente para a Rosi me chamar novamente, ela disse que chamou 7 vezes, que eu me lembre foram 3, mas tudo bem, se ela disse afinal ela estava acordada.rss Tomamos um café com leite e fatias de pão de milho com muita margarina e começamos nossa caminhada, primeiro até a casa da Rosiana, pois as filhas Bruna e Poliana disseram que iam também.
Rosi e eu na rua da casa dela, no fundo a imagem da Pedra da cruz para onde estávamos indo.


Uma hora depois do combinado começamos enfim a caminhada rumo a montanha, no final fomos somente eu, Rosi, Nathália e Poliana os outros desistiram. Só para justificar um pouco, o sol estava de rachar e à noite iríamos pular carnaval na cidade, por isso o pessoal ficou receoso de ficar muito cansado ou dolorido subindo a montanha e desistiram, acho que foi isso.

Não vou falar que a caminhada foi fácil porque não foi. Ainda mais eu que trabalho no escritório, sentada, não curto fazer caminhada apesar de precisar não pela estética, mas sim pela saúde, mas difícil me convencer. Enquanto estávamos na estrada beleza, fogo foi quando começamos a subir a montanha, pois além do medo de cobras e outros bichos que sei que poderiam surgir o pior foi que quando estávamos à uma certa altura me lembrei que tinha medo de altura. Mas já estava lá, não pensei nisso antes, então o negócio era ir em frente, ou melhor pra cima.

Foi nesta subida que ao olhar para baixo lembrei que sempre tive medo de altura.



Quando chegamos no alto da pedra isso às 11hs15mins, não sabia o que fazia primeiro, se tirava o tênis, se ia para a beirada ver a paisagem, se bebia água, se deitava, fiz tudo isso, sei que a vontade era de não descer mais tão boa era a sensação de paz, o ar fresco, o ventinho suave, esse momento foi inesquecível!
A volta foi tranquila, passamos em uma cachoeira que tem no caminho, estávamos de volta em casa antes das 14horas, loucas por um banho e mortas de fome. Depois do banho, de almoçar, tomamos um remédio para evitar a dor no corpo, uma vez que a noite tínhamos que estar bem animadas para brincar no carnaval Hoje estou feliz por ter subido em uma montanha (a 1ª e talvez a última vez) e com marcas do sol nas pernas e costas. Mas valeu muito a pena!!

Quando achamos uma sombra sentamos um pouco para descansar, sei que neste momento pensei em ficar por ali mesmo, o pé doía, não tenho costume de usar tênis, meu negócio é mais uma sandália e em casa pés no chão. Enfim levantei e continuei, afinal faltava pouco.
Finalmente uma sombra e pausa para um descanso para os pés.
última subida, o sorriso estampado no rosto.
Postar um comentário