quinta-feira, 24 de março de 2016

Em Pedreira com as irmãs e minha mãe

Sábado passado, dia 19 fui para Pedreira com as irmãs e minha mãe. Estava programado? Não!
A programação era a Silvana passar o fim de semana em casa. E nós ficarmos em casa. Só que não!rsrs
Eu tinha acabado de acordar. Estava tomando café quando a Adriana ligou perguntando se eu queria ir para Pedreira. Falei que a Silvana estava em casa. E a Dri falou para chamar ela também. Acordei a Silvana e perguntei se ela queria ir.
Menos de uma hora depois a Adriana estava passando em casa para pegar eu e a Silvana. Só quando ela chegou que vimos que a mãe também estava indo junto. Eu estranhei porque estávamos indo ver lembrança para dar no aniversário dela. Pensei que seria surpresa.
Saindo de casa já começou a trapalhada. Demos uma volta até conseguir sair da cidade e pegar a rodovia. Depois perdemos a entrada para Pedreira. A distração era grande. Afinal era passeio. Então, sem estresse.
Chegando em Pedreira, andamos uma rua inteira, entrando de loja em loja. E antes que a fome batesse, resolvemos almoçar.
Após o almoço fizemos uma pausa para fotos. Minha mãe estava feliz. Ficou posando para as fotos.
Depois quis até fazer uma selfie. Acredita! Ficamos ali, se embolando atrás dela para caber na foto. Até agora ela não postou. Não sei se ficou boa.rsrs
Sessão de fotos terminada, voltamos a focar no nosso objetivo. Ver as lembrancinhas. E assim continuamos andando e entrando, de loja em loja. Uma hora estava eu e a Vana. Outra hora estava com a minha mãe. A Shirlei e a Adriana andaram a maior parte do tempo juntas. Tanto que foram elas que viram, e todas aprovaram a ideia de dar aromatizador de ambiente.
Acham que compramos? Mas é claro que Não! Ficou para vermos em Campinas. Ou São Paulo. Já viu. Mulher é assim. Roda, roda, roda e no fim, volta tudo para o mesmo lugar. Depois eu conto como vai terminar essa história.rsrs
Bom, nem tudo estava perdido. Pelo menos decidimos o que vai ser. E mais ainda, nos divertimos muito. Sei que passei um dia maravilhoso com as irmãs e minha mãe. E como disse a minha cunhada Karen “que coisa rara, só as mulheres da família”.  Realmente não lembro quando foi a última vez que saímos somente nós cinco.  Geralmente estamos com mais alguém.

Postar um comentário