“Eu sei que não sou nada e que talvez nunca tenha tudo. Aparte disso, eu tenho em mim, todos os sonhos do mundo.”

Álvaro de Campos, 15-1-1928 (Tabacaria)