sábado, 9 de janeiro de 2010

Sempre ao seu lado



Fui Quinta no cinema assistir este filme com minha filha adotiva, o namorado e mais duas amigas do trabalho. Me diverti muito, desde o momento que começamos a combinar pois se discutia de tudo, se íamos assistir o filme dublado ou legendado (só eu queria legendado) sorte deles porque para o horário que queríamos e podíamos só tinha dublado. Em seguida a discussão era sobre comer ou não comer pipoca, pequena ou grande, uma ou duas, com pimenta, sem pimenta, sem falar no refrigerante que compramos de latinha pois saía mais barato.rss

Corre corre, uns passam no mercado, eu na farmácia, entramos, as luzes se apagam, a pipoca recebendo pitadinhas de pimenta (acho que foram uns 10 sachês) e o filme começa:


O filme relata a história verídica de um cachorro(raça Akita) que é encontrado na estação de trem, quem o encontra é o professor Parker Wilson, personagem interpretado brilhantemente pelo ator Richard Gere. Parker tenta encontrar o dono do cachorro, mas como não consegue vai ficando com ele, devemos dar ênfase nas tentativas de Parker para ensinar o cachorro a buscar a bola quando ele a jogava (tem uma explicação do porque ele não busca, mas não me lembro, só quando assistir o filme novamente) o cachorro não buscava de jeito nenhum. A amizade entre os dois vai crescendo e é admirada por todos da família e conhecidos. Um amigo de Parker (o mesmo que explica sobre a questão da bola) decifra o nome do cachorro (ele explica o que significa, mas também não lembro) "Hachiko". A partir deste dia Parker passa a chamá-lo de Hachi. O que nos tenta ser passado como mensagem nesta história é o companheirismo dos dois, Hachi acompanha Parker todos os dias até a estação de trem e volta no final da tarde para buscá-lo. Algumas surpresas acontecem e o tempo passa, até que em uma manhã ao sair Hachi não quer acompanhar Parker, parece que tenta "dizer" algo. Hachi pega a bola e segue atrás de Parker, o encontra já na porta da estação. Parker vendo que Hachi trouxe a bola, pega-a e joga-a para ele ir buscar. Parker fica todo orgulhoso e começa a dizer à todos que era a primeira vez que Hachi buscava a bola..Assim brincaram por um tempo e Parker foi trabalhar, mas Hachi estava inquieto, ele sabia ... aquele foi o último dia que brincou com seu dono. E assim dia após dia, ano após ano, Hachi vai e fica no mesmo lugar à esperar pelo amigo que se foi, isso ocorre durante 10 anos.

Como disse no início está é uma história verídica, portanto prestem atenção nos letreiros finais que conta detalhes sobre Hachi, quando morreu, sobre seu verdadeiro dono e sobre o memorial feito em sua homenagem.

Um filme que retrata de forma simples os momentos vividos pelos personagens, a amizade entre Hachi e Parker e a fidelidade de Hachi enfrentando sol/chuva/neve para esperar seu dono que nunca volta. Realmente muito bom, vale a pena!


Comentários à parte: à partir da morte de Parker, soluços e mais soluços dentro do cinema, as duas da minha direita choravam feito condenadas, e os dois da esquerda riam delas. Eu como estava muito gripada, os olhos já estavam inchados de tanto que espirrei durante o dia, deu para disfarçar um pouco. Saímos todos com os olhos inchados, correndo para ir ao banheiro, mas muito, muitíssimo satisfeitas com a escolha e já programando para voltarmos outro dia.



p.s.: Quanto eu não lembrar de certos detalhes nos filmes, sou assim mesmo (um pouco distraída, será que é culpa da pipoca???) por isso prefiro alugar um filme (quando quero ver) pois assim coloco quantas vezes for necessário para entender alguma explicação perdida.
Mas ainda vou ficar boa nisso, e entender de primeira.rss

Postar um comentário